Candeias: Falha do TRE prejudica trabalho de biometria

230

Falha na organização do Tribunal Regional da Bahia (TRE) em não enviar os equipamentos para a realização da biometria para 50 mil dos 62 mil eleitores da cidade de Candeias, na Região Metropolitana a 46 km de Salvador, está prejudicado o trabalho do Cartório da 127ª Zona Eleitoral que fica sem condições de atender a demanda.

Centenas de eleitores, que se deslocam de quilômetros de distância, não podem ser atendidos porque apenas dois equipamentos fazem o serviço quando o Tribunal prometeu encaminhar 22 máquinas, que ainda não chegaram.

Desde segunda-feira, filas de centenas de eleitores, inclusive idosos, se formam na frente do Fórum da cidade, e muitos são obrigados a retornar sem atendimento porque a capacidade instalada não atende os que tentam fazer a biometria.

Esse trabalho já era previsto há mais de seis meses, mas o Tribunal ignora os direitos do cidadão que estuda, trabalha e ainda tem afazeres pessoais e fica prejudicado ao perder, pelo menos, 4h por dia para fazer a biometria e não conseguir.

O juiz Tadeu Bandeira adotou todos as medidas necessárias para que o serviço fosse realizado sem prejuízo para a população, mas o TRE falhou no envio dos equipamentos. A biometria realizada com apoio da Prefeitura e da Câmara Municipal de Candeias, assim como ocorre em todas as cidades baianas onde se realiza ou já ocorreu. Eles cedem equipamentos e funcionários no período da biometria.

Toldos foram colocados ao lado da sede do Fórum e um esquema especial de transporte do Bairro do Ouro Negro para o Centro da cidade foram organizado para facilitar a vida dos eleitores.

Neste momento, 38 cidades baianas realizam a biometria, que é obrigatória para o cidadão entre 18 e 70 anos de idade, sob pena de ser punido se não votar.

Yancey Cerqueira

Radialista DRT/BA 06

COMPARTILHAR