Coelba renova contrato e lotéricas já recebem contas de energia

186

A Companhia de Eletricidade da Bahia (Coelba) renovou com a Caixa Econômica Federal (CEF) o contrato, encerrado dia 1º de junho, e que gerou sérios transtornos para os consumidores.

O restabelecimento do contrato vai permitir o pagamento em todas as 3.668 casas lotéricas instaladas no estado para os mais de 4,7 milhões de usuários da Coelba.

Os consumidores da concessionária viveram momentos difíceis com a repentina proibição de pagar as contas nas agências de loterias presentes na maioria das cidades e na maioria dos bairros das grandes cidades baianas.

Como a renovação ocorreu na noite de sexta-feira, 13, poucos consumidores sabiam ontem da volta permissão do serviço.

O trauma maior para os consumidores é que os bancos somente recebem contas de clientes e, nem todos que são clientes da Coelba, têm contas em bancos e muitos têm apenas conta salário que apenas permite o recebimento dos vencimentos.

Privatização

A Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) foi constituída em 28 de março de 1960 para alavancar o crescimento econômico do estado. No início era uma empresa estatal e depois passou a ser privada de capital externo e interno em 31 de julho de 1997 no governo de Paulo Souto, do então PFL que hoje é DEM.

Atualmente ela atende a uma população de mais de 15 milhões de pessoas nos 415 dos 417 municípios da Bahia abrangendo 563 mil quilômetros quadrados de área de concessão, ou seja 99,5 por cento. A maioria dos clientes são residenciais.

A companhia encerrou o primeiro trimestre de 2018 com um lucro líquido de R$ 49.62 milhões. No acumulado dos últimos doze meses, a empresa acumulou um lucro líquido de R$ 147 milhões. No dia 31 de março 2018, a companhia Coelba possuía um ativo total de R$ 13,38 bilhões e um patrimônio líquido de R$ 4,09 bilhões.

Todos estes dados referem-se à individualização do resultado financeiro da Coelba, sem considerar o resultado financeiro das companhias subsidiárias. Há 9 anos, a Coelba apresenta lucro (Fonte br.advfn.com).

COMPARTILHAR