Copa da Rússia tem 4ª pior média de gols

111
Foto Internet

As defesas estão se impondo vigorosamente na Copa do Mundo da Rússia. Após 23 jogos disputados, foram marcados apenas 51 gols. A média está em 2,22 gols por partida. Apenas três Mundiais dos 21 disputados tiveram menos gols do que atual edição: África do Sul-2010 (1,87), México-1986 (1,96), Itália-1990 (2,13).

A marca reverte o crescimento de quatro anos atrás, no Brasil, quando nos 23 primeiros jogos foram marcados 66 gols, maior marca desde 1982 (67 gols) e segunda maior desde 1958 (80). Na Rússia, a queda na média de gols marcados em relação à Copa de 2014 é de 23%.

– O fato de mais de 70% dos atletas que disputam esta Copa atuarem na Europa e estarem em fim de temporada é certamente um dos fatores. Uma temporada é muito desgastante, e eles acabam chegando no Mundial longe de suas melhores condições. Além disso, o nível técnico-tático está elevado, e as seleções favoritas não estão conseguindo se impor, pois a marcação sobre os principais jogadores está muito forte – afirmou o ex-atacante Grafite.

Para a repórter da Rádio Globo (RJ), Ana Thais Matos, o número de gols em bola parada nesta Copa também mostra como as defesas estão fechadas.

– O equilíbrio defensivo está tão grande, que muitos gols estão sendo marcados a partir de bolas paradas, sejam pênaltis ou faltas. Os melhores sistemas defensivos dominaram as Eliminatórias, e isso está se refletindo na Copa. A seleção brasileira é um bom exemplo disso.

Um exemplo claro de como a bola parada vem sendo decisiva é o desempenho do português Cristiano Ronaldo. Até aqui, ele é o artilheiro da Copa, mas dos quatro gols, três foram marcados em jogadas de bola parada: um de pênalti, um de falta e um após cobrança de escanteio.

COMPARTILHAR