Edilson volta a ser preso em Brasília

191

Edilson 05O ex-jogador de futebol Edilson Silva Ferreira, o “Capetinha”, foi preso pelos agentes da Polícia Civil no Aeroporto Internacional JK, em Brasília, por deixar de pagar R$ 430 mil em pensão alimentícia.

O ex-jogador foi para a carceragem do Departamento de Polícia Especializada do DF, próximo ao Parque da Cidade. O ex-atacante baiano integrou seleção que foi campeão da Copa do Mundo em 2002, no Japão e Coreia do Sul.

Polícia Civil, que, por meio de nota, afirmou que não havia ninguém para comentar o caso e que o processo corre em segredo de Justiça. Em setembro de 2015, o ex-jogador foi alvo de investigação da Polícia Federal por suspeita de fraudes no pagamento de prêmios de loterias da Caixa Econômica Federal.

Na época, agentes da PF apreenderam discos rígidos e computadores na casa de Edilson, que negou envolvimento com o esquema investigado.

Enquanto a investiEdilson 01gação esteve em curso, a Caixa Econômica Federal informou já colabora com as investigações e que manteria cooperação integral com a polícia.

A ação da PF cumpriu mandados judiciais nos estados de Goiás, Bahia, São Paulo, Sergipe e Paraná. Em Brasília, foram cumpridos 11 mandados de condução coercitiva – quando o suspeito é levado à força, se necessário, para prestar depoimento. Cerca de 250 policiais federais participam da operação, que foi batizada de Desventura.

Carreira

Edillson, conhecido por Capetinha, começou a carreira em 1987 no Industrial, do Espírito Santo. Ele passou também pelo Corinthians, Flamengo, Palmeiras, Vitória e Bahia. Pela seleção brasileira, o jogador foi pentacampeão na Copa do Mundo de 2002.

COMPARTILHAR