Erro de árbitro tira vitória rubro-negra

14

O desejo do Vitória de sair do Manoel Barradas neste domingo com os três pontos foi frustrado pela arbitragem. Após sair atrás do marcador, o time rubro-negro reagiu, empatou ainda no primeiro tempo, foi salvo no segundo quando Fernando Miguel defendeu um pênalti e depois marcou dois gols com Kieza e Dagoberto, ambos não validados por falhas da arbitragem. O placar ficou 1 a 1: Potker abriu o marcador e Kieza empatou. Foi o primeiro empate do time de Vagner Mancini no Manoel Barradas.

O Vitória ficou sem o atacante Marinho, que fraturou o nariz no treino de sábado, e foi liberado da concentração neste domingo, após o resultado do exame. Sem o jogador, Vagner Mancini optou pela escalação do garoto Gabriel, revelação da divisão de base.

A Ponte Preta saiu na frente com Potker, aos 8 minutos. O atacante acreditou num lançamento longo, ganhou na corrida dos marcadores e tocou na saída de Fernando Miguel.

O Vitória não acusou o golpe. Ao contrário, permaneceu tranqüilo, tocando a bola, procurando espaços para chegar ao gol. Finalmente, aos 21 minutos, ocorreu o empate o rubro-negro.

Diego Renan cobrou falta na área e Kieza usou a coxa para mandas para o fundo da rede e marcar seu sexto gol no Brasileirão. Ele é o artilheiro do Vitória na competição.

No segundo tempo, a Ponte Preta teve a chance de passar à frente do marcador e Fernando Miguel defendeu o pênalti cobrado por Felipe Azevedo.

O Vitória voltou jogando bem, pressionando e teve dois gols anulados erradamente por falhas da arbitragem. Aos 31 minutos, Dagoberto cruzou na medida para Kieza completar de cabeça, e o assistente marcou impedimento. Com 5 minutos de acréscimos Dagoberto dominou a bola no peito na área e marcou o gol. Inexplicavelmente, o árbitro da FIFA Ricardo Marques invalidou o lance sob alegação que o jogador ajeitou com o braço.

O próximo jogo rubro-negro será contra o Sport Recife, quarta-feira, 29, no estádio Manoel Barradas, às 19h30, pela 12ª rodada.

COMPARTILHAR