Estudantes da Unilab voltam a discutir crise com direção

315

Os alunos ocupam salas em razão da suspensão do pagamento das bolsas a alunos recém-formados do curso de Humanidades

Os estudantes da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), que ocupam desde segunda-feira (23) salas do campus dos Malês, no município de São Francisco do Conde (BA), na RM a 67 km de Salvador. No dia seguinte, estudantes do campus da Liberdade, em Redenção (CE) ocuparam a reitoria.

Segundo a estudante Silvana Santana Almeida, aluna do curso de Pedagogia, a mobilização nos campi tem o objetivo de fazer retornar o pagamento das bolsas dos estudantes recém-formados do curso de Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades (BHU) do 1º ciclo que estão em transição para o 2º ciclo. A estrutura curricular do Bacharelado Interdisciplinar divide o curso em dois ciclos de formação: a Formação Geral e a Formação Específica.

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Unilab explicou que a ocupação se deu após a negativa da reitoria em apresentar uma solução cabível para o corte, nas três reuniões. Segundo o DCE, os discentes do curso foram desligados no mês de julho do Programa de Assistência Estudantil (Paes) de “maneira autoritária e sem diálogo” e alguns já estão sendo ameaçados de despejo.

O movimento estudantil exige o pagamento retroativo do mês de julho, a regularização no mês de agosto e a publicação de um documento que garanta a solução do problema a fim de evitar que as próximas turmas do BHU passem pela mesma situação.

A reitoria, por sua vez, afirmou que o corte se deu por questões administrativas, uma vez que os estudantes do BHU ao terminarem o 1º ciclo se desligam oficialmente da universidade. Uma nova reunião com a reitoria e intermediação da diretora do campus na Bahia, Miriam Sumica, está marcada para amanhã, 31.

COMPARTILHAR