Furacão mata 11 pessoas nos EUA e tufão ao menos 29 nas Filipinas

71
Foto: Reprodução Internet

A tempestade tropical Florence, com vento e chuva intensos, causou a morte de ao menos 11 pessoas na passagem pelos Estados Unidos. Também provocou aumento do nível de rios e lagos, que começam a transbordar na Carolina do Norte e do Sul. Depois de sair da condição de furacão, Florence foi rebaixado para a categoria de tempestade tropical, com vento máximo constante de 75 quilômetros por hora (km/h). A preocupação das autoridades agora é incessante chuva.

O governador de Carolina do Norte, Roy Cooper, classificou a chuva como “épica” e informou que houve recorde de acúmulo de água, com mais de 76 centímetros na cidade de Swansboro, enquanto há outras quatro acima de 50 centímetros.

A marca anterior, de 61 centímetros, foi estabelecida em 1999 durante a passagem do furacão Floyd pela região.

Essa chuva é a que causou a morte de três pessoas no condado de Duplin, na Carolina do Norte, devido a “enchentes e bolsões de água nas estradas”, segundo informação da prefeitura local.

Por isso, o prefeito decretou toque de recolher de 12 horas para reduzir as possibilidades de acidentes deste tipo. Durante a noite só será permitido o tráfego de veículos de emergência e por motivos de trabalho. Uma mulher morreu ao bater o carro contra uma árvore que tinha caído na estrada.

Filipinas

Um dia depois de o Tufão Mangkhut passar pelas Filipinas, as autoridades confirmaram a morte de ao menos 29 pessoas, enquanto há buscas por 10 desaparecidos. Os números são atualizados a partir de informações das equipes de resgate. O assessor Francis Tolentino, designado pelo presidente Rodrigo Duterte para supervisionar a resposta ao desastre nas regiões afetadas, confirmou o último balanço.

Muitas pessoas morreram em consequência dos deslizamentos de terra nas regiões montanhosas que receberam as fortes chuvas e ventos trazidos pelo Mangkhut na passagem ontem (15) pelo norte da ilha de Luzon, no extremo norte do país.

O presidente Rodrigo Duterte visitou hoje a província de Cagayan, onde realizou uma “inspeção aérea” para avaliar os danos e se reuniu na capital, Tuguegarao, com o gabinete para discutir os trabalhos de resposta imediata e de reconstrução.

“Compartilho minhas condolências com quem perdeu seus entes queridos”, afirmou o presidente em pronunciamento ao vivo na televisão, no qual afirmou que o governo está fazendo de tudo para “o país voltar à normalidade o mais rápido possível”.

A expectativa é que amanhã (17) Duterte visite a região de Cordillera, onde, por enquanto, foram registradas mais vítimas – 24 mortos e 13 desaparecidos. Na província de Nueva Ecija foram confirmadas quatro mortes e, em Ilocos, uma.

Fonte: agenciabrasil.ebc.com.br

COMPARTILHAR