Iaçu: Convenção aclama a chapa Macarrão e Quito da Loja

27

As convençõeIMG-20160730-WA0008s, que reuniram 5 partidos da base do governo do Estado (PSD, PTC, PP, PTN e PRTB), foram realizadas na tarde/noite deste sábado, 30, no Colégio Lauro de Freitas, no bairro da Cerâmica, homologaram, por aclamação, a Coligação “União da Oposições para a Vitória”, que vai ter como candidato a Prefeito, Maurílio Ramos, o Macarrão, do PSD, e a vice-prefeito, Quito da Loja, do PTC, e os nomes dos candidatos a vereador.

Também foi decidido que fica aberta a possibilidade do ingresso do PT, que ainda não realizou a convenção e que foi representado pelo administrador público e de empresas, Eduardo Nascimento, pré-candidato a vereador, na mesma coligação. Eduardo também foi indicado, por aclamação, coordenador da campanha da chapa majoritária.

AoIMG-20160730-WA0012 falar, Macarrão que foi prefeito por dois mandatos em Iaçu, lembrou a origem humilde dele e do candidato a vice-prefeito, Quito da Loja, o que faz retornar a todos a esperança do povo iaçuense de ter uma gestão voltada para os interesses das pessoas de baixa renda e que precisam de mais atenção de quem governa a cidade.

“Além disso, é a união da experiência e da juventude para fazer voltar a autoestima de cada um de nós“, disse Macarrão muito aplaudido pelas dezenas de seguidores, correligionários e apoiadores.

IMG-20160730-WA0018Emocionado, o empresário de origem simples, Quito da Loja, do PTC, disse que é com muito orgulho e alegria que pode integrar uma coligação com pessoas tão capazes de melhorar a condição de vida dos iaçuenses.

Disse que não foi fácil abrir mão da candidatura a prefeito, mas agora percebe neste momento que estava dando o passo mais certo para o bem de Iaçu.

O deputado Alex Lima, do PTN, também participou da convenção que reúne partidos da base do governo estadual representando o governador Rui Costa (PT) e tem certeza da vitória em 2 de outubro o que, na visão dele, vai ser bom para a Bahia e excelente para Iaçu.

Iaçu

O Município tem 27 mil habitantes, fica no centro norte baiano na Zona Sul da Chapada Diamantina, a 279 km de Salvador, uma receita anual de R$ 55 milhões e nos últimos 11 anos, a administração municipal teve 6 contas rejeitadas pelo Tribunal de Contas dos Municípios – TCM – por irregularidades na aplicação dos recursos e 5 aprovadas com ressalvas. Nenhuma foi aprovada.

O ex-prefeito e atual – hoje pré-candidatos – tiveram contas rejeitadas e podem se tornar inelegíveis para o pleito de outubro próximo.

COMPARTILHAR