Iaçu: Especialista explica limites da lei a pré-candidatos do PSD, PP e PT

44

Uma reunião com pré-candidatos e lideranças políticas de oposição iaçuenses, realizada na Central Fest, no Centro da cidade, esclareceu a todos as regras para as eleições municipais deste ano depois daquilo que foi considerado uma minirreforma da legislação eleitoral que diminuiu o tempo de campanha, os programas de rádio e televisão e a utilização de placas e cartazes.

Fotos Iaçu 02O administrador público e de empresas, Eduardo Nascimento, pré-candidato a vereador que coordenou a reunião que envolveu PSD e o PT e fez a apresentação dos trabalhos, frisou a importância de qualificar a Câmara Municipal de Iaçu e colocar a população como alvo principal da futura gestão.

Antes dos trabalhos, Eduardo Nascimento apresentou a pauta que falaria sobre orientações aos pré-candidatos da futura coligação; apresentação de um esboço do futuro Projeto de Governo Participativo; a preocupação com o futuro de Iaçu e conclusão do papel que todos teriam na história política da cidade.

Um dos momentos marcantes foi a fala do vereador do PDT, Gil Sampaio, único oposicionista na atual Câmara de Vereadores, que independente do posicionamento do Partido ao qual pertence vai estar ao lado das oposições para eleições de outubro. Também o presidente do PTN, Elizeu Azevedo, integrante da futura coligação, além de Magno Flor, do PP, pré-candidato a vereador.

O advogado Ilson Azevedo, especialista em direito eleitoral, falou também sobre financiamento de campanha com a proibição de doações de empresas, limite de gastos para as campanhas de vereador, vice-prefeito e prefeito e ainda formas de doação.

Dr. Fotos Iaçu 03Ilson explanou sobre os cuidados necessários para que um candidato não tenha o registro impugnado ou não venha a ser cassado caso eleito por erros banais, mas decisivos.

Finalizando a reunião, que contou com dezenas de políticos, o pré-candidato a prefeito Maurilio Ramos Sobrinho, Macarrão, do PSD, disse que o maior desejo que tem no momento e, caso seja candidato e eleito, é mudar a forma de gestão de Iaçu, hoje num estilo empresarial para um governo popular e participativo com todos os segmentos da sociedade iaçuense.

Iaçu precisa voltar a ser uma cidade cujos recursos sejam empregados a favor da população, especialmente os de baixa renda, o que traria bem-estar para a maioria hoje esquecida pela administração, n o que foi aplaudido de pé.

COMPARTILHAR