Iaçu: Presidente tenta dar golpe para se manter em Associação Rural

1186

O objetivo é ampliar o mandato da atual diretoria e, para isso, nas últimas horas mudou tudo, inclusive, a data da Assembleia de 14 para o próximo dia 21

Desgastada por falhas e erros no comando da Associação Comunitária Rural dos Campos, Melquíades, Lagoa Dantas II e Algodão de Seda, em Iaçu, cidade no Centro Norte baiano a 279 km de Salvador, a presidente da entidade, Evani Teles Barreto, que enfrenta forte oposição dentro da diretoria, Conselho Fiscal e rejeição dos sócios que caíram nos últimos anos de mais de 80 para pouco mais de 30, tenta mais uma vez se apegar ao cargo com a convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária para aumentar o mandato e mudança do Estatuto, nome e função da entidade de forma ilegal.

Antes, porém, por meses, se recusou a receber a mensalidade dos sócios que se manifestaram contrários ao comportamento da Presidência, que discriminava e perseguia os que não concordavam com a gestão. Assim, deixava os mesmos inadimplentes e sem condições de voto nas reuniões e assembleias.

Foto: presidente da Associação Rural enviada por Whats’App

Pressionada, Evani Teles Barreto, mudou de comportamento e, desde o último fim de semana, autorizou a Tesouraria a receber atrasados de associados para que regularizem a situação e possam votar na Assembleia. A reunião ceivada de vícios seria para dar um “golpe” nos opositores, que prometem lotar a assembleia.

De acordo com ex-diretores, o Edital de convocação descumpre completamente o Estatuto, pois não atendeu o prazo mínimo de 30 dias, não específica quais artigos e quais as mudanças que pretende fazer. Outra denúncia é a tentativa tirânica de expulsar sócios, principalmente os mais antigos.

Ainda segundo diretores e ex-dirigentes, o objetivo é mudar o nome para, segundo os informantes, atender solicitação da CAR – Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional, cuja relação é importante no apoio aos produtores rurais baianos.

No momento, a presidente, Evani Teles Barreto, teria apoio apenas do tesoureiro, Domingos Santos de Aragão, vulgo Legal, e o secretário, Josias Neris da Silva, sendo condenada pelos demais dirigentes.

Fatos

Em recente reunião na Associação, dois homens armados dentro da sede, segundo presentes levados por Evani Teles Barreto, provocaram indignação e protestos.

Acuada, a atual presidente não poupa esforços ditatoriais para evitar uma chapa concorrente na eleição a ser realizada nos próximos meses. A perda de apoio entre sócios fica claro com o recuo quanto ao pagamento das mensalidades. Inclusive, feito de último hora na reunião de domingo, 7, numa mudança repentina de atitude.

Contratação do filho

A indicação do filho para uma vaga de emprego disponibilizada pela CAR foi um dos atos mais contestados porque o jovem não atendia aos requisitos do Edital, como ser portador de Certificado de Conclusão do Ensino Médio, fato já comunicado ao órgão do Governo do Estado, que se omite no fato, à Delegacia de Polícia e ao Ministério Público Estadual. Segundo a denúncia, o documento foi apresentado depois do prazo. A presidente também se recusa a prestar informação sobre o trator, a motocicleta, o triturador, a balança, roçadeira, o computador e plantio coletivo de palmas, dentre outros.

E o mais grave é a falta de prestação regular de contas.

COMPARTILHAR