Itabuna: Mais uma vez Prefeitura fecha restaurante popular

170

As atividades do Restaurante Popular de Itabuna, cidade no Sul baiano a 426 km de salvador, serão encerradas nesta quarta-feira, 31. Desde aberto em 2000 é a sexta ou sétima vez que as gestões fecham o estabelecimento. O fechamento da unidade se dá com base no decreto 13.093/2018, de 17 de outubro de 2018, no qual o prefeito Fernando Gomes, do DEM, rescindiu o contrato administrativo com a empresa Pupo Restaurante e Cozinha Industrial LTDA, que gerenciava a unidade.

De acordo com o decreto, o município considera que as atuais dificuldades financeiras e orçamentarias têm comprometido o pagamento e manutenção dos contratos já celebrados pelo município. Dessa forma, para que não haja comprometimento dos pagamentos dos salários dos servidores, e/ou a interrupção dos serviços públicos considerados essenciais, tais como saúde, educação, limpeza urbana e assistência social, o município tomou a medida de contenção de despesas, encerrando as atividades do restaurante.

Construído com recursos federais, o restaurante estava aberto desde os anos 2000. Oferece refeições aproximadamente mil refeições a R$ 3,00. Já no início do governo, Fernando Gomes fechou a unidade do Bairro de Fátima. O restaurante serve uma média de mil refeições diárias.

Receita e folha

Com uma receita anual de R$ 461 milhões para uma população de 212 mil habitantes a Prefeitura tinha em julho 5.787 funcionários com custo por mês de R$ 14.190.955,41 sendo apenas 4.200 efetivos. Esses custam R$ 11.012.207,69 mensais. Os agentes públicos são 11 – prefeito, vice e 9 secretários. Eles representam folha mensal de R$ 180 mil por mês. O prefeito tem salário de R$ 30 mil, um dos maiores do Brasil, valor mais de 20% maior que o prefeito ACM Neto de Salvador que é de R$ 24.875,00.

COMPARTILHAR