Modelo que agrediu escrivã da Delegacia da Mulher é condenada

16

A modelo Vanessa Alcântara, de 29 anos, que está presa há três meses acusada de agredir uma escrivã da Delegacia da Mulher de Valinhos (SP), foi condenada a quatro anos de prisão em regime semiaberto (sair para trabalhar ou estudar e dormir na prisão). A decisão, da juíza Daniella Soriano Uccelli, saiu depois da primeira audiência sobre o caso. A defesa da ré informou que vai recorrer ao Tribunal de Justiça de São Paulo.

O advogado da modelo, Evandro Campos, afirmou, em nota oficial, que a decisão foi “exacerbada” porque, segundo ele, os crimes dos quais Vanessa é acusada deveriam ter penas cumpridas em regime aberto e sem reclusão.

“Vamos impetrar dois habeas corpus, sendo um para garantir o direito de voltar para casa o mais rápido possível e outro para a fundamentação da sentença, já que entendemos que a prisão é arbitrária e ilegal. A Vanessa nega veemente todas as acusações e se diz vítima de perseguição”, disse o advogado.

Vanessa chegou a ficar detida na Cadeia Feminina de Campinas, mas foi transferida para a Penitenciária Feminina de Mogi Guaçu (SP). De acordo com a defesa da modelo, ainda não está definido se ela vai permanecer no local, que também funciona em regime semiaberto, ou será transferida para outra unidade prisional.

Modelo Vanessa 01Confusão na Delegacia

Vanessa Alcântara, que é ex-namorada do fiscal Luis Alexandre Magalhães, suspeito de participar de um esquema de corrupção na Prefeitura de São Paulo, foi presa em flagrante no dia 7 de abril, em Valinhos (SP). Ela é acusada de  agredir uma escrivã da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) do município e de outros seis crimes.

A modelo foi até a unidade policial registrar um boletim de ocorrência por conta de uma briga com vizinhos, mas ficou contrariada ao saber que havia um inquérito policial em andamento contra ela por uma suposta agressão contra um parente.

COMPARTILHAR