Museus recebem doação de obras; da Bahia estão entre os contemplados

202
Obra de Roberto Burle Marx

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) já definiu as instituições que receberão 775 obras de arte oferecidas ao setor museal em maio passado, com intermediação do órgão, pelo Instituto Itaú Cultural.

O lote oferecido inclui gravuras, serigrafias, litografias e óleos sobre tela assinados por artistas brasileiros renomados como Emanoel Araújo, Maria Bonomi, Roberto Burle Marx, Amilcar de Castro, Renina Katz, Tomie Ohtake e Alfredo Volpi, entre outros, além de reproduções de artistas internacionais como Van Gogh, Picasso, Miró, Kandinsky e Klee.

No total, 67 museus e centros culturais brasileiros serão beneficiados e agregarão obras do lote a seus acervos. As instituições contempladas estão em 49 cidades que abrangem todas as regiões do país, em 18 estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul.

Três museus vinculados ao Ibram receberão obras hoje pertencentes ao Acervo Banco Itaú. O Museu Victor Meirelles, em Florianópolis (SC), agregará ao acervo 25 delas, que incluem duas litografias, uma de Alfredo Volpi e outra de Emanoel Araújo; e uma gravura de Carlos Vergara. O Museu da Abolição, em Recife (PE), será contemplado com 13 bens culturais, entre eles obras de Bernard Bouts e José Sabóia. Os Museus Castro Maya, no Rio de Janeiro (RJ), receberão 12 obras – o óleo sobre tela Paisagem Bom Jesus de Pirapora, de Hugo Adami, é uma delas.

Critérios

Instituições de todo o Brasil, públicas ou privadas, puderam manifestar interesse pelas obras. As manifestações puderam ser feitas através de formulário disponibilizado pelo Ibram e foram recebidas até o dia 8 de junho. Os pedidos foram analisados por ordem de manifestação e a pertinência de incorporação de itens foi avaliada levando em conta a caracterização dos acervos dos museus e sua missão. Foi utilizado como critério de desempate a apresentação de Registro do Museu, Plano Museológico e Política de Aquisição e Descarte.

“Iniciativas como esta são fundamentais para a ampliação dos acervos dos museus brasileiros e a democratização do acesso a seus públicos”, avalia a coordenadora de Acervo Museológico do Ibram, Luciana Palmeira. “O Ibram estimula uma cultura de doação de bens culturais a museus no Brasil e está à disposição para realizar uma intermediação criteriosa”, completa. As obras serão enviadas aos museus contemplados, com todos os custos a cargo do Itaú Cultural, num prazo de até 90 dias.

Fonte: Assessoria Ibram

COMPARTILHAR