Operação do MP tenta desarticular quadrilha de falsários de cigarros

34

Uma operação do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc) do Ministério Público (MP) cumpre, desde a madrugada desta quinta-feira (7), 14 mandados de prisão e outros 29 de busca e apreensão em Alagoas, Bahia, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. A ação, nomeada de Kapnós, busca desarticular duas quadrilhas que compravam cigarros falsificados e os distribuía pelo Nordeste.

Operação MP 01A operação recolhe centenas de caixas de cigarros falsificados, além de veículos de luxo, lanchas e motos aquáticas. Todos esses bens teriam sido comprados e colocados no nome de “laranjas” com o intuito de lavar o dinheiro adquirido com o comércio ilegal de cigarros.

Duas pessoas foram presas em Alagoas. Elas estão sendo levadas para a Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic). Já o material apreendido será encaminhado para a Academia de Polícia Militar. Segundo as investigações, o centro de distribuição dos produtos de um dos grupos criminosos funcionava em Caruaru (PE). Uma pessoa foi presa em Curupira.

De acordo com o MP, as investigações começaram há quatro meses. As quadrilhas presas eram especializadas em comercializar cigarros produzidos no Brasil, mas com selos de marcas paraguaias, como Eight, Gift, Bello e Meridian.

Os revendedores compravam os produtos de fábricas clandestinas, localizadas, a maioria, na região Sul do país, e distribuíam para diversos centros de comércio no Nordeste.

Ainda de acordo com o Ministério, os dois bandos possuíam uma estrutura organizada, com integrantes exercendo papéis distintos, tendo fornecedores regionais, estaduais, e locais, fora os que vendiam para o consumidor final.

COMPARTILHAR