Otto impõe Coronel e Rui cede

249

O presidente da Assembleia é o segundo nome dos candidatos da situação ao Senado. O ex-governador Wagner é o outro. A senadora Lídice da Matta foi excluída

Acabou a expectativa que quase todo mundo político sabia. O governador Rui Costa anunciou que a chapa majoritária vai ser composta por ele, candidato a reeleição, Jaques Wagner candidato ao Senado, ambos do PT, enquanto Ângelo Coronel, do PSD, vai ser o outro candidato à senatoria e, se eleito, coloca o partido com dois senadores já que Otto Alencar ainda tem 4 anos de mandato em Brasília.

A senadora Lídice da Mata considerou a decisão um absurdo já que sempre foi fiel ao PT e naturalmente, deveria ter o apoio do governador Rui Costa na candidatura à reeleição. “É um retrocesso excluir uma mulher da chapa majoritária”, mas foi a opção de Rui Costa.

Garantiu, porém, que não cogita tirar o apoio ao PT em outubro, mas avalia se o PSB vai aceitar uma das vagas de suplente de senador.

O atual vice-governador João Leão, do PP, vai continuar.

Otto trabalha a indicação há anos e mantém um sonho antigo de um dia ser governador da Bahia. Fortalecido por ser o PSD o partido com maior número de Prefeituras – quase 90 – o senador, criado nas hostes carlistas, alimenta essa esperança para 2022 acreditando na eleição também de Ângelo Coronel.

Oposição

Do outro lado, José Ronaldo ainda não escolheu ou não anunciou o nome do candidato a vice-governador nem para as duas vagas no Senado Federal.

Com relações estremecidas com o PSDB, o DEM tem certeza do apoio incondicional dos aliados de João Gualberto e Jutahy Magalhães. Esse último é um dos nomes cotados para a candidatura ao Senado.

Com enfraquecimento do PMDB a nível estadual e nacional depois das prisões de Geddel Vieira Lima, de Eduardo Cunha e a impopularidade de Michel Temer é essencial ter no palanque estadual do PSDB.

COMPARTILHAR