PPL discute pré e campanha com futuros candidatos

18

Uma reunião realizada na sede do Partido da Pátria Livre (PPL), na Avenida Edgar Santos, no Cabula, em Salvador, discutiu o período pré-eleitoral, a campanha – este ano com prazo menor – e a participação no evento de 2 de julho, data da Independência do Brasil na Bahia. Ao invés de 90, a campanha eleitoral vai ter 45 dias. Também se falou sobre forma de uso dos meios de comunicação: rádio, TV, redes sociais e carros de som, por exemplo.

003Participaram da reunião, além dos 43 pré-candidatos, a presidente do PPL de Salvador e vice-prefeita de Salvador, Célia Sacramento, o secretário de Organização do partido, Washington Bonfim, e a secretária de Igualdade do PPL, Vanda Cruz.

Foram dadas explicações sobre as mudanças na lei eleitoral, uma minirreforma, que delimita algumas novas situações como data de realização das convenções para a escolha dos candidatos pelos partidos e para deliberação sobre coligações também mudou. Agora, as convenções devem ser realizadas de 20 de julho a 5 de agosto de 2016.

Outra alteração diz respeito ao prazo para registro de candidatos pelos partidos políticos e coligações nos cartórios, o que deve ocorrer até às 19h de 15 de agosto de 2016.

A reforma também reduziu o tempo da campanha eleitoral de 90 para 45 dias, começando em 16 de agosto. A propaganda dos candidatos no rádio e na TV também foi diminuído de 45 para 35 dias, com início em 26 de agosto, no primeiro turno. Assim, a campanha terá dois blocos no rádio e dois na televisão com 10 minutos cada. Além dos blocos, os partidos terão direito a 70 minutos diários em inserções, que serão distribuídos entre os candidatos a prefeito (60%) e vereadores (40%). Em 2016, essas inserções somente poderão ser de 30 ou 60 segundos cada uma.

005Propagandas

Os comícios devem ser realizados entre 8 horas e 24 horas, exceto o de encerramento de campanha que poderá ser prorrogado por mais 2 (duas) horas.

Em carros

Só com adesivos comuns de até 50 cm x 40 cm ou microperfurados no tamanho máximo do para-brisa traseiro. “Envelopamentos” estão proibidos.

Propaganda em vias públicas

Permitidas bandeiras e mesas para distribuição de material, desde que não atrapalhem o trânsito e os pedestres. Bonecos e outdoors eletrônicos estão vetados.

Redes sociais

A campanha nas redes sociais estará liberada, mas é proibido contratar direta ou indiretamente pessoas para publicar mensagens ofensivas contra adversários.

Doação

As campanhas eleitorais deste ano serão financiadas exclusivamente por doações de pessoas físicas e pelos recursos do Fundo Partidário. Antes da aprovação da reforma, o Supremo Tribunal Federal (STF) já havia decidido pela inconstitucionalidade das doações de empresas a partidos e candidatos.

COMPARTILHAR