Presidentes da Assembleia e da UPB apoiam Ademir Ismerim na FBF

182
Foto: Tudo News

No dia 8 de março mundialmente importante – homenagem às Mulheres –, o presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, deputado Ângelo Coronel, do PSB, aliado do senador Otto Alencar, recebeu calorosamente o advogado e desportista Ademir Ismerim e apoiadores no gabinete da Presidência e foi claro: “Além de todas as qualidades pessoais e profissionais, Ismerim é meu amigo e advogado há anos. Se depender de mim, já está eleito. Não tenho voot, mas vou pedir aos amigos. Nada contra o atual presidente da FBF, mas como aconteceu aqui na Assembleia que Marcelo Nilo era presidente pelo quinto mandato, e todos os dois tinham e têm méritos nisso, é preciso alternância, mudança que devem ajudar a Bahia, nesse caso o esporte baiano”.

Além de Ângelo Coronel, os deputados federais Artur Maia, do PPS, Elmar Nascimento, do DEM, e estaduais Marcelo Nilo, do PSL, Alan Sanches e Sandro Regis, do DEM, também já disseram que apoiam e vão trabalhar para eleger Ismerim, amigo e advogado competentíssimo, o novo presidente da FBF.

Nenhum deles tira os méritos da atual gestão, mas é fundamental que em cargos executivos, como é caso da FBF, haja renovação e alternância no poder para novas conquistas.

Prefeitos e outros políticos

O presidente da União dos Municípios da Bahia – UPB, Eures Ribeiro, e o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis, também já se manifestaram em favor da renovação na FBF e que estão, e buscarão apoio dos colegas, para o candidato Ademir Ismerim à Presidência da Federação Baiana de Futebol.

Todos já se manifestaram pela renovação na entidade e que vão trabalhar para a eleição do renomado advogado e desportista Ademir Ismerim.

Todos esses personagens da política baiana e brasileira vão se manifestar e pedir aos eleitores (Ligas e Clubes) para que promovam a renovação na FBF.

NR: O argumento é simples: é preciso exercer a democracia com alternância de poder. Não pode um ninguém querer ficar 25 anos presidente de uma entidade e sequer permitir eleição para renovação.

Em síntese, é o que pensam desportistas, jornalistas, políticos, radialistas e a maioria da Bahia Esportiva e Política.

Também é preciso abrir a “caixa preta”, segundo o radialista Zé Eduardo que tem na FBF, onde o presidente tem de renda R$ 125 mil por mês. Não se pode esquecer o documento forjado na sede da FBF para que o Poções recebesse R$ 300 mil e não R$ 13 como o Sporting contestou e Fifa e CBF exigiram nova declaração e a entidade contrariada fez quase um ano depois.

Os 17 anos, quase 18, de Ednaldo Rodrigues, ao lado de Manfredo Lessa, 10 como vice e hoje assessor jurídico, esgotaram a paciência de quem acompanha e faz futebol no Estado. Independente disso, a Bahia é um marco da Independência do Brasil. Aqui aconteceram as últimas batalhas que expulsaram os portugueses que dominavam o País.

Voltando a falida FBF que precisa de “ares novos”, o pré-anúncio da candidatura do experiente advogado e desportista, Ademir Ismerim, ex-assessor jurídico do EC Bahia, ganha força nos quatro cantos do Estado que manifestam irrestrito e total apoio para que a Federação Bahiana de Futebol possa ter nossa gestão e deixar o marasmo, a inércia e a pusilanimidade que assolou a entidade nos últimos para não dizer décadas. A rejeição é clara entre torcedores, nos Clubes e Ligas, agora que sabem do golpe no Estatuto – prática comum –   da atual gestão para ficar no poder. Os eleitores vão se manifestar claramente no dia da eleição.

COMPARTILHAR