Robson Conceição é o primeiro brasileiro de ouro no boxe olímpico

36

Simbolo Olímpico 02O baiano Robson Conceição fez história e conquistou na terça-feira (16) a primeira medalha de ouro do boxe brasileiro em olimpíadas e o terceiro ouro do Brasil na Rio 2016. Por decisão unânime dos juízes, o lutador baiano derrotou o francês Sofiane Oumiha na categoria peso ligeiro, até 60 quilos.

Com o ouro de Robson, o Brasil subiu para a décima quinta colocação no quadro geral de medalhas.

Relaxado na luta, Conceição não deu chances para o francês e levou a torcida presente no Pavilhão 6 do Riocentro ao delírio. Antes mesmo do fim da luta, os torcedores já gritavam “é campeão”.

No primeiro round, os três juízes deram a vitória ao brasileiro. No segundo, dois dos três árbitros deram 10 a 9 para Conceição, mesmo resultado do terceiro e último round.

Robson Conceição 03Em uma chave considerada difícil, o brasileiro enfrentou o uzbeque Hurshid Tojibaev na primeira luta e venceu por decisão unânime. Mesmo placar da luta contra o cubano Jorge Alvares, que já garantia o bronze ao baiano.

Conceição queria mais e na terceira Olimpíada – ele foi décimo sétimo em Pequim e em Londres – superou a pobreza e as dificuldades vividas na infância para subir ao lugar mais alto do pódio na Rio 2016.

Torcida em Salvador

Boxe BCSO boxe olímpico brasileiro chegou ao lugar mais alto do pódio com a inédita medalha de ouro conquistada pelo baiano Robson Conceição. O lutador, natural de Salvador, dominou o francês Sofiane Omiha nos três rounds e cravou o nome na história dos Jogos Olímpicos. O atleta mostrou ao mundo o mesmo boxe que ensina semanalmente na Base Comunitária de Segurança (BCS) da Boa Vista de São Caetano, na capital baiana, com garra, disciplina e respeito.

Aos 27 anos, o pugilista de origem humilde é fonte de inspiração para 100 jovens que aprendem o boxe no projeto ‘Luta Cidadã’, da BCS, no turno oposto ao da escola. A maior deles e familiares assistiram pela TV a vitória do professor e amigo. Lições importantes de disciplina e respeito ao próximo são transmitidas aos alunos, que também têm a vida escolar acompanhada pelos professores. “O boxe tem trazido esperança para esses jovens. Com apoio da Polícia Militar e o comprometimento dos treinadores de boxe, eles estão tendo um acompanhamento importante para sua formação como homem de bem”, destaca o comandante da BCS São Caetano, tenente Gabriel Lessa.

COMPARTILHAR