Salvador amanhece sem ônibus nas ruas

246

Os rodoviários soteropolitanos decretaram que a categoria entrará em greve por tempo indeterminado desde a 0h desta quarta-feira, 23. A decisão foi tomada durante assembleia.

O anúncio da greve já era esperado, visto que não houve acordo entre as partes na última rodada de negociação, realizada durante a manhã de ontem com mediação da Superintendência Regional do Trabalho (SRT/BA) e do Ministério Público do Trabalho (MPT).

Os empresários do Consórcio Integra não ofereceram contraproposta à categoria, que reivindicava inicialmente 6% de reajuste salarial.

Diante do quadro de greve, a Justiça do Trabalho atendeu a um pedido do sindicato patronal e determinou que o Sindicato dos Rodoviários mantenha 50% da frota nos horários de pico e 30% no fluxo normal.

Entretanto, os trabalhadores afirmam que vão descumprir esta determinação, e que nenhum veículo sairá da garagem. Por isto, também não haverá o esquema de catraca livre – sem cobrança da passagem -, já que não haverá circulação de ônibus.

A paralisação afeta aproximadamente 1 milhão de passageiros na capital baiana.

Plano de contingência

A prefeitura anunciou nesta terça o plano de contingência para minimizar os efeitos da greve. Durante o período de paralisação, serão mobilizados micro-ônibus e vans para atender a população.

Em nota, a gestão municipal informou que duas propostas apresentadas pelos empresários já foram rejeitadas: um novo aumento da tarifa de ônibus e a supressão de 70 linhas, o que poderia significar a retirada de mais de 200 ônibus de circulação.

“São iniciativas rejeitadas porque afetam diretamente o dia a dia das pessoas, e que resultam em um prejuízo no serviço do acesso do cidadão ao transporte público da cidade”, declarou ACM Neto.

COMPARTILHAR