Técnico baiano pode fazer história no futebol olímpico

27

Simbolo Olímpico 02O jogo contra Alemanha neste sábado (20) é a quarta vez que o futebol masculino brasileiro chega à final do torneio olímpico. Nas outras três vezes, ficou com a prata em Los Angeles 1984 (contra a França), Seul 1988 (diante da União Soviética) e em Londres 2012 (contra o México). Em comum, nas três derrotas os brasileiros levaram dois gols. Por outro lado, a seleção, apenas em 1984, não marcou um gol. Nas finais seguintes, na Coreia do Sul, Romário descontou, e na Inglaterra, o gol foi de Hulk.

A seleção do baiano Rogério Micale e da estrela Neymar tenta o Ouro Olímpico inédito no futebol. Jamais as seleções masculina e feminina ganharam o primeiro lugar do pódio. Em casa, mesmo contra a poderosa Alemanha, mas com o apoio da torcida que vai lotar o Maracanã, as 17h30, o Brasil tem outra grande chance de ser ouro no futebol.

“Não temos naMicale 05da a ver com isso [a vingança da Copa]. Vamos viver nossa história”, afirmou o baiano Rogério Micale, responsável por comandar o time nos Jogos após Tite recusar o convite da CBF para trabalhar no torneio.

Ao todo, o futebol olímpico brasileiro participou 11 vezes do torneio. Nas quatro primeiras vezes, em 1952 (em Helsinque, Finlândia), em 1964 (em Tóquio, Japão), em 1968 (na Cidade do México) e em 1972 (em Munique, Alemanha), a seleção não passou da primeira fase. Entre 1936 e 1980, a Federação Internacional de Futebol (Fifa) só autorizava que o torneio masculino fosse disputado por jogadores amadores, levando a uma supremacia dos países socialistas no pódio olímpico.

Nos Jogos de Los Angeles 1984, a Fifa passou a permitir que atletas que não tivessem jogados Copas do Mundo participassem da Olimpíada. Somente a partir dos Jogos de Barcelona 1992, que teve início as regras atuais, que limitou a competição para jogadores de até 23 anos, abrindo uma exceção para apenas três atletas mais experientes.

40 anos depois

Em Montreal 1976, foi quando pela primeira vez a seleção chegou perto da medalha, ficando em quarto lugar. Perdeu, naquela ocasião, por 2 a 0 para a União Soviética na disputa do quarto lugar. Em 1996, conseguiu o bronze ao vencer Portugal por 5 a 0, em um time que tinha Bebeto e Ronaldo. Mas, em 2000, um novo fiasco. Caiu para a seleção de Camarões nas quartas (perdeu por 2 a 1). Em 2008, o Brasil conquistou o segundo bronze ao derrotar a Bélgica por 3 a 0. Antes, a seleção havia sido derrotada pela Argentina por 3 a 0 nas semifinais.

COMPARTILHAR