Vitória: De Ivã a Ricardo, o caminho do caos

1262

A chegada da democracia foi demorada, comemorada e trouxe muita esperança aos torcedores do centenário Esporte Clube Vitória, que tem em média 1,7 mil sócios que votaram nas últimas duas eleições.

Foram duas eleições e dois fracassos. E com o explicar?

Inicialmente, o ‘bem intencionado’ Ivã de Almeida com uma leve passagem nas divisões de base não estava preparado, e isto ficou provado, para ser o ‘Presidente’ do time que diz que ama.

Segundo se sabe, torrou quase R$ 40 milhões com contratações totalmente equivocadas e, como resultado, o time não ganhou nenhum título e quase caiu em 2017 para a segunda divisão do Brasileiro.

Com situação insustentável, foi obrigado a pedir licença e, em seguida, renunciar ao cargo.

Em novo pleito, duas chapas: uma encabeçada por Manoel Matos, que muitos reconhecem como quem equilibrou as finanças do Clube com apoio de Raimundo Viana. A outra, tinha a frente o inexperiente e despreparado Ricardo David.

Muito mais afeito aos bastidores do que as questões internas, também torrou o que restava de recursos e trouxe jogadores a nível de Série D. Ganha Ricardo David com quase o dobro dos votos.

Já no Campeonato Baiano deu demonstração inequívoca de que seria um fracasso.

Orientou, por meio de assessores, que o técnico Wagner Mancini mandasse um jogador cair em campo no BaVi, num episódio vergonhoso, imoral e que merecia banimento do futebol para todos os ‘atores de enlatado mexicano’.

Por trás dos dois eleitos, estaria o não menos incapaz Carlos Falcão, desafeto de Paulo Carneiro e que, segundo torcedores, apoia incondicionalmente a torcida ‘Imbatíveis’ ajudando-os financeiramente e que mantém ao menos 400 sócios para sair com larga vantagem numa eleição.

Juntos, esses torcedores que nunca deveriam ter saído da arquibancada, ou das cadeiras, são responsáveis pelos dois vergonhosos anos do Vitória (2017/2018), que não ganha nada com o time principal, e ainda caiu para a segunda divisão do Brasileiro este ano. E se o time estivessem na terceira divisão com certeza cairia também como resultado do caos que implantaram no futebol do Vitória.

Já que a diretoria não consegue ganhar nada, poderia muito bem encerrar o ano dando um prêmio a imensa torcida do Vitória: todos renunciarem.

Caso contrário, pela falta de conhecimento e capacidade, os rubro-negros vão padecer e perecer por muito tempo com o caminho do caos traçado por esses que se arvoram a torcedores-dirigentes.

Fiquem na arquibancada para o bem do Vitória.

COMPARTILHAR