A quebra do sigilo fiscal de 11 parlamentares bolsonaristas

331
Ministro do STF, Alexandre de Moraes Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou na terça-feira, 16/6, a quebra do sigilo fiscal de 11 parlamentares que integram a base bolsonarista no Congresso Nacional. A medida faz parte do inquérito que investiga o financiamento de atos antidemocráticos que pedem o fechamento do Congresso e do STF e a intervenção militar.

A lista de parlamentares alcançados pela decisão de Alexandre de Moraes tem um senador — Arolde de Oliveira (PSL-RJ) — e dez deputados. Entre eles, alguns dos mais fiéis defensores do presidente Jair Bolsonaro, como Carla Zambelli (PSL-SP), Bia Kicis (PSL-DF) e Daniel Silveira (PSL-RJ).

Algumas horas mais cedo, Silveira fora um dos alvos da operação de busca e apreensão realizada em cinco Estados (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão e Santa Catarina) e no Distrito Federal pela Polícia Federal, também por ordem de Alexandre de Moraes. Além dele, outros personagens notórios do bolsonarismo foram alvo da operação, casos do blogueiro Allan dos Santos, do empresário e advogado Luís Felipe Belmonte e do publicitário Sérgio Lima.

Na segunda-feira (15/6), as ações práticas do inquérito, aberto a pedido da Procuradoria-Geral da República, tiveram início com o cumprimento de seis mandados de prisão contra integrantes do grupo bolsonarista “300 do Brasil”, entre eles sua principal líder, Sara Giromini.

Lista dos parlamentares que tiveram o sigilo fiscal quebrado na terça:

Arolde de Oliveira, senador (PSC-RJ)

Daniel Silveira, deputado federal (PSL-RJ)

Junio do Amaral, deputado federal (PSL-MG)

Otoni de Paula, deputado federal (PSC-RJ)

Caroline de Toni, deputada federal (PSL-SC)

Carla Zambelli, deputada federal (PSL-SP)

Alessandra da Silva Ribeiro, deputada federal (PSL-MG)

Beatriz Kicis, deputada federal (PSL-DF)

General Girão, deputado federal (PSL-RN)

José Guilherme Negrão Peixoto, deputado federal (PSL-SP)

Aline Sleutjes, deputada federal (PSL-PR)

Fonte: Conjur

COMPARTILHAR