Angola fecha templos da Universal e deve expulsar Igreja do país

382

A Procuradoria-Geral da República de Angola iniciou uma operação para o fechamento de pelo menos sete templos, em Luanda, capital do país, da Igreja Universal do Reino de Deus.

Parte desses templos está tomada por pastores angolanos dissidentes que acusam a Universal de evasão de divisas, imposição de vasectomia e discriminação racional, dando tratamento diferenciado aos pastores brasileiros.

A Universal estaria vendendo o patrimônio, antecipando-se a uma provável expulsão daquele país.

Enquanto os templos permanecerem fechados, eles ficarão sob responsabilidade do Instituto Nacional dos Assuntos Religiosos, vinculado ao Ministério da Cultura.

O Jornal da TV Pública de Angola, informou que agentes da Procuradoria-Geral e do SIC (Serviço de Investigação Criminal), que é a Polícia Federal daquele país, estavam examinando a contabilidade de uma catedral, com lugar para 700 fiéis.

O bispo Honorilton Gonçalves nega as acusações, mas porta-vozes do governo afirmam haver fortes indícios de irregularidades por parte da igreja liderada pelo bispo Edir Macedo.

Estima-se que a Universal tenha em Angola 4 milhões de fiéis.

COMPARTILHAR