Aumenta presença feminina no mercado de trabalho em Salvador e RM

1151
Foto Ilustrativa

Pelo segundo ano consecutivo, o número de postos de trabalho aumentou para as mulheres da Região Metropolitana de Salvador (RMS), de acordo com dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego da RMS, executada pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI).

Porém, a População Economicamente Ativa (PEA) também aumentou entre elas com maior intensidade. Com isso, o contingente e a taxa de desemprego de mulheres cresceram, com o primeiro chegando ao maior patamar anual da série histórica, iniciada em 1997, e a segunda alcançando o maior percentual, desde 2003.

Pelo segundo ano consecutivo, o número de pessoas trabalhando na RMS apresentou acréscimo. Em 2018, houve aumento de 2,0% ou de 29 mil pessoas. Por outro lado, a População Economicamente Ativa elevou-se em 81 mil pessoas, o que acresceu em 52 mil pessoas o contingente de desempregados. Com esses movimentos, a taxa de desemprego total na RMS aumentou para 25,7%.

O crescimento da ocupação beneficiou mais os homens (mais 19 mil postos) que as mulheres (10 mil), ainda que o número de homens (mais 39 mil) na força de trabalho tenha aumentado menos que o de mulheres (mais 42 mil), o que denota mais dificuldades encontradas por elas em acessar postos de trabalho.

O aumento da PEA em intensidade superior ao acréscimo da ocupação fez com que o contingente de mulheres desempregadas se elevasse (13,0% ou 32 mil pessoas). Entre os homens, o contingente de desempregados também se elevou, mas em menor proporção (9,0% ou 20 mil pessoas).

Entre as mulheres, elevaram-se as proporções de pessoas desempregadas na faixa etária de 25 a 39 anos, negras e que ocupam a posição de cônjuge no domicílio. Esses movimentos representaram pequenas mudanças na distribuição de homens e de mulheres no mercado de trabalho, aumentando relativamente a desigualdade entre as inserções. Mais informações estão disponíveis no site da SEI.

Fonte: Ascom/SEI

COMPARTILHAR