Bahia registra mais de 2,1 mil mortes violentas no ano

749
Foto: Alberto Maraux / Divulgação/SSP/BA

Apesar da diminuição de 14,8% das mortes violentas (homicídio, latrocínio e lesão dolosa seguida de morte), na Bahia, nos cinco primeiros meses, os números ainda assustam.

O tema foi discutido durante a reunião semanal de avaliação realizada pela Secretaria da Segurança Pública. Integrantes das polícias Militar, Civil e Técnica, além do Corpo de Bombeiros participaram do encontro, na tarde de terça-feira (4), no Centro de Operações e Inteligência (COI).

Em números absolutos, de janeiro a maio deste ano, foram registrados 2.159 casos, contra 2.535, em 2018. “São cinco meses com reduções e as preservações de 376 vidas, na Bahia, e seguimos trabalhando para mantermos esses índices. Lembro ainda que fechamos 2018 com o menor número de mortes dos últimos seis anos, aumentando o nosso desafio em 2019”, destacou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.

Embora apresente essa redução, de 2007 até 2018, houve um crescimento em torno de 100% em mortes violentas no estado, segundo dados do Mapa da Violência, do Observatório Nacional da Segurança Pública sendo o maior em números absolutos do País.

Este ano em 5 meses foram registradas, em média, 14,39 mortes por dia ou uma a cada 100 minutos.

A redução na Bahia refletiu os números das macrorregiões, com as quedas em Salvador de 13,5%, na Região Metropolitana de 12,7% e no Interior de 15,6%. “Analisamos, nesta reunião, pontos relevantes, operações, casos emblemáticos, entre outras situações. O principal é que permanecemos com a filosofia de integrar as ações ostensivas e de inteligência”, finalizou Barbosa.

Fonte: Ascom / Alberto Maraux/SSP/BA

COMPARTILHAR