Bahia toma posse do terreno e do novo CT – Cidade Tricolor

709
Foto: Felipe Oliveira / Assessoria Bahia

As chaves da Cidade Tricolor foram entregues nesta terça-feira (26) ao Bahia. Mais especificamente, 184. A grande quantidade se explica pelo tamanho do novo Centro de Treinamento do Esquadrão de Aço, localizado na região metropolitana de Salvador, a cerca de uma hora do centro da capital.

Uma das etapas mais importantes do processo de retomada do patrimônio do clube, a cerimônia de transmissão da posse da CT e também de um terreno anexo ao Fazendão aconteceu na Base Operacional do clube, dentro da Arena Fonte Nova, e contou com representantes da construtora OAS.

A novidade significa que o Bahia passa a administrar os dois locais, assim como ocorre com o Fazendão, onde ainda também não possui a propriedade – e sim a posse – devido ao antigo imbróglio agora prestes a ser solucionado. “Após a conquista de hoje, vamos avançar com as últimas duas etapas que faltam do acordo judicial sobre o assunto: a transferência das Transcons do clube para a OAS e a transferência da propriedade dos três equipamentos das OAS para o clube”, explica o presidente Marcelo Sant’Ana.

O diretor operacional da OAS Empreendimentos, José Manuel Parada, foi mais um a comemorar. “Hoje é um dia que é um marco muito grande para a OAS. Conseguimos vencer um trâmite burocrático extenso e um pouco complicado e, sem dúvida, a posse do novo CT será um marco também para o Bahia, que vai colocá-lo em um patamar ainda maior. A Cidade Tricolor é um equipamento de primeira geração”.

O vice-presidente Pedro Henriques também comentou: “Quando a nossa gestão assumiu, esse foi o primeiro contrato que analisei e, se as pessoas não lembram, tinha acabado de começar a Operação Lava-Jato. A gente não sabia ainda as repercussões que poderiam ter. Ficamos preocupados, por isso acabamos entrando com uma ação cautelar que resguardou o Fazendão e a Cidade Tricolor de qualquer situação. O acordo que fizemos culminou com isso aqui hoje. Resta apenas esperar os trâmites burocráticos, junto às prefeituras e aos cartórios, para a gente poder transferir todas as propriedades e ser dono de papel passado das nossas casas. Isso será fundamental para o futuro do clube”.

COMPARTILHAR