Baiana Luislinda Valois renuncia ao cargo no Ministério

138

A ministra dos Direitos Humanos, Luislinda Valois, entregou o cargo nesta segunda-feira (19) ao presidente Michel Temer. A informação foi confirmada pelo Palácio do Planalto, que ainda não informou o motivo da demissão.

De acordo com a assessoria de imprensa do Planalto, o cargo será ocupado interinamente pelo subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil, Gustavo do Vale Rocha, que passará a acumular as duas funções.

Luislinda Valois estava no posto desde fevereiro de 2017, quando Temer editou uma medida provisória dando status de ministério à secretária especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Ministério da Justiça.

Ela era o penúltimo nome do PSDB no governo Temer desde que o então ministro das Cidades, Bruno Araújo, e o da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, pediram exoneração no fim do ano passado. O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, que também é tucano, continua no cargo.

Polêmica

Em dezembro do ano passado, Luislinda Valois se desfiliou do PSDB, com o objetivo de permanecer no governo de Michel Temer por mais tempo, já que, à época, ganhava força entre os tucanos o desembarque do partido da base aliada do Planalto.

Desembargadora aposentada, Luislinda estava no comando do ministério desde o início de fevereiro e protagonizou episódios polêmicos no governo, como quando afirmou que se sentia “escrava” por ganhar “apenas” R$ 30 mil mensais.

É o terceiro baiano que deixa o Ministério de Temer. Primeiro foi Geddel Vieira Lima, que hoje está preso, depois Antônio Imbassahy forçado a sair e agora Luislinda.

COMPARTILHAR