Brasil cria 35 mil empregos depois de 22 meses de perdas

401

O país criou 35.612 empregos com carteira assinada em fevereiro, interrompendo 22 meses consecutivos de perdas de vagas, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O resultado ficou bem acima do projetado pelos analistas e representa o melhor dado para fevereiro desde 2009. No acumulado do ano, contudo, o País ainda tem recuo de 5.475 postos de trabalho.

Em meio às citações de membros do governo na Operação Lava Jato, o Planalto correu para divulgar a retomada da criação de empregos formais em fevereiro. Em uma cerimônia inédita, a boa notícia foi anunciada pelo próprio presidente Michel Temer e pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira.

O coordenador-geral de Estatísticas do Ministério do Trabalho, Mário Magalhães, negou que a divulgação dos dados do Caged tenha sido antecipada. Segundo ele, a meta é informar os dados entre os dias 18 e 22 de cada mês. Ainda de acordo com ele, houve atraso para processar os dados de janeiro, divulgados há menos de duas semanas, no dia 3 de março. “O País merece essa divulgação”, disse.

“Vocês sabem que a economia brasileira volta a crescer e os sinais desse fato são cada dia mais claros. Em fevereiro, por exemplo, o número de empregos formais de 35.612 vagas”, disse Temer. Para Temer, o número representa “o começo depois de 22 meses negativos”. O presidente destacou que a reação do mercado de trabalho dá possibilidade de vida digna aos mais de 35 mil brasileiros que retornaram ao mercado de trabalho formal.

COMPARTILHAR