Brasileiro: Dominado, Bahia perde na Arena da Baixada

920
Foto: Heuler Andrey / DiaEsportivo

Noite de homenagem nas arquibancadas ao maior artilheiro da história do Furacão, Barcímio Sicupira, teve gol de Rony como o único do jogo

Em jogo de muita criação do sistema ofensivo do Athletico, o Furacão bateu o Bahia por 1 a 0 atuando na Arena da Baixada pelo Campeonato Brasileiro. Desempenho esse que certamente deixou satisfeito o homenageado da noite, Barcímio Sicupira, que completou na última sexta-feira, 10, 75 anos de idade.

Desde o começo de jogo tendo a bola nos pés e trabalhando para encontrar os espaços na marcação bastante justa do Bahia, o Athletico conseguiu a primeira jogada bem-sucedida aos 10 minutos balançando as redes com Rony.

Em linda inversão de jogo feita por Nikão que encontrou Renan Lodi, o lateral cruzou na medida onde Marco Ruben testou para grande intervenção de Douglas Friedrich, mas no rebote o companheiro do argentino no ataque do Furacão balançou as redes.

Fora do habitat

Pelo menos nos 20 minutos iniciais, o time do Bahia, que também gosta de ser protagonista por um estilo de jogo com bola no chão, se sentiu bastante perdido com a dominância do time paranaense e tendo dificuldade para lidar, principalmente, com as infiltrações em muita velocidade de Rony que “quebravam” a zaga do Esquadrão. Em meio a essa dificuldade, o próprio camisa 7 chegou a ampliar a dianteira do Athletico em tento que, posteriormente, foi anulado pela arbitragem com a alegação correta de impedimento.

O Bahia só conseguiu tramar um momento de perigo quando Fernandão apareceu de frente para Santos após toque de Ramires e bateu em cima do goleiro do Rubro-Negro paranaense. Porém, no início do lance, houve grande reclamação pelo fato de Rony, após dividida com o lateral-esquerdo Paulinho, caiu imediatamente tendo sido acertado por um tapa no rosto.

Podia ser mais

A superioridade atleticana ficou ainda mais evidente nos minutos finais da primeira etapa quando bombardeou a meta de Douglas Friedrich.

Na melhor chance de fazer com que a vantagem fosse maior para os anfitriões, em cobrança de escanteio onde Bruno Guimarães testou bem, o goleiro do Bahia defendeu e, depois da bola bater na trave, ela chegou a passar próximo de entrar na meta adversária, mas Nino Paraíba cortou e a arbitragem, após análise do VAR, confirmou que a bola não entrou.

Pressão

Da mesma forma que o Athletico terminou a etapa inicial começou o tempo derradeiro: pressionando o Bahia e criando oportunidades claras de gol. Enquanto na primeira delas Marco Ruben quase acabou marcando “sem querer” em corte da zaga baiana que espirrou nele e passou raspando a trave de Douglas Friedrich, Nikão fez o papel de se infiltrar na parte central e, de frente com o arqueiro do Esquadrão, acabou tendo frustrada a sua tentativa de drible.

Bahia entra

Depois dos 10 minutos iniciais, a equipe de Roger Machado conseguiu melhorar com as entradas de Shaylon e Élber, ganhando em velocidade e força na saída de jogo para não se limitar a apenas defender como vinha acontecendo. Como resultado disso, a equipe passou a frequentar a parte ofensiva do campo e até conseguiu criar um lance ofensivo quando Fernandão dominou cobrança rápida de lateral e bateu para ótima defesa de Santos. No rebote, Ramires não levou mais perigo porque a sua finalização foi travada no último momento pela zaga do Athletico.

O ritmo do jogo que foi bastante técnico ficou essencialmente físico nos minutos finais, aparecendo oportunidades tanto para sacramentar a vitória do Furacão como para o empate do Esquadrão de Aço. Porém, nenhum dos ataques venceu a barreira do cansaço e o marcador de 1 a 0 persistiu.

Ficha Técnica

Athletico Paranaense 1 x 0 Bahia

Local: Arena da Baixada, Curitiba (PR)

Data-Hora: 12/05/2019 – 19 h (horário de Brasília)

Árbitro: Sávio Pereira Sampaio (CBF-DF)

Assistentes: Guilherme Dias Camilo (FIFA-MG) e Daniel Henrique da Silva Andrade (CBF-DF)

VAR: José Claudio Rocha Filho (CBF-SP)

Assistentes do VAR: Marcio Henrique de Gois e Alex Ang Ribeiro (ambos CBF-SP)

Cartões amarelos: Erick, Renan Lodi (CAP); Paulinho, Nino Paraíba, Gregore (BAH)

Gol: Rony (Athletico)

Athletico: Santos; Wellington, Thiago Heleno, Léo Pereira e Renan Lodi; Erick, Bruno Guimarães e Léo Cittadini (Lucho González, aos 24’/2°T); Nikão, Rony (Marcelo Cirino, aos 19’/2°T)’ e Marco Ruben. Técnico: Tiago Nunes.

Bahia: Douglas Friedrich, Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Ernando e Paulinho; Douglas Augusto, Gregore e Eric Ramires (Shaylon, aos 17’/2°T); Artur, Rogério (Élber, aos 17’/2°T) e Fernandão (Gilberto, aos 28’/2°T). Técnico: Roger Machado.

COMPARTILHAR