Campeonato Baiano: BaVi ‘obsceno’

834

Quando se pensa que chegou ao fundo do poço, ainda há espaço para asneiras no futebol baiano

A partida deste domingo, às 16h, na Fonte Nova, o clássico BaVi, pelo Campeonato Baiano, tem tudo para dar errado dentro de campo por conta de uma escalação equivocada da Comissão de Arbitragem.

Depois de desmontar a arbitragem baiana, a Federação, que não renova com qualidade o quadro de árbitros, – hoje praticamente ninguém apita a Série A do Brasileiro e já tivemos até 4 –, a entidade agora tenta emplacar Diego Pombo Lopez colocando-o no maior clássico do Norte/Nordeste depois de tantas polêmicas que o cercam com a conivência da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Ele teria apitado sem um diploma com carga horária exigida pela Comissão de Arbitragem da CBF até finalizar outro curso.

O grupo de árbitros escalado (árbitro, assistentes e reserva) é composto por Elicarlos Oliveira, Alessandro Matos, Marielson Alves e o próprio Diego. O detalhe é que o assistente Alessandro e o reserva Marielson, por questões pessoais profissionais, não se relacionam com o árbitro Diego. Como deverá ser o ambiente no vestiário e, pior, durante o jogo?

Obsceno

Anos atrás, esse mesmo Diego Pombo Lopez (reconhecidamente com grandes limitações técnicas e fraco na questão disciplinar) se envolveu numa séria polêmica. Ele, inclusive, participou de um programa de reality e fracassou.

Está na internet um vídeo (em sites de vídeos pornôs), cenas de sexo explícito de masturbação desse árbitro que, por questões éticas, morais e técnicas, sequer deveria estar no quadro.

E o presidente da Comissão Baiana de Arbitragem é Jailson Macêdo Freitas, que comenta para a TV que transmite os jogos do estadual. Vai ter sempre análise positiva.

A escalação do mesmo é uma das imposições do ditador e incompetente ex-dirigente da FBF, hoje 8° vice-presidente da CBF, que em nada em 20 anos contribuiu para o crescimento e desenvolvimento do futebol baiano. Afinal, na era do mesmo como ‘presidente’ não conseguiu revelar ninguém que assumisse a ponta da arbitragem nacional.

Então, pedimos a torcida tricolor – única no estádio em mais um absurdo – que não espere um grande trabalho do árbitro e o poupe de críticas inconvenientes na partida.

E os policiais militares escalados para o jogo fiquem mais atentos do que normalmente são.

Yancey Cerqueira,

Radialista DRT/BA 06

COMPARTILHAR