Candeias: Câmara vota projeto de auxílio municipal: R$ 200 é inacreditável

483
Foto Arquivo Tudo News

Cidade é a 7ª que mais arrecada na Bahia (417 municípios) e, em 2018, a receita foi de R$ 447 mi. Prefeitura tem em caixa R$ 290 milhões e vai receber mais R$ 8,3 milhões do governo federal

Uma sessão extraordinária vai ser realizada nesta segunda-feira, 25/05, na Câmara Municipal de Candeias, na Região Metropolitana a 46 km de Salvador, para votar o Projeto do Executivo de ajuda financeira, finalmente, para cidadãos e cidadãs de baixa renda.

Os vereadores da base (que são maioria 12 a 5), que têm como líder Reigilson Soares, não podem ser “coniventes” com esse desrespeito à pessoas que vivem na linha ou abaixo da linha de pobreza na cidade.

O valor indicado é de R$ 200 (duzentos reais), o menor de todas as administrações municipais ou dos governos estaduais ou federal oferecidos em todo o Brasil (Madre de Deus: R$ 250 a R$ 400; Salvador: R$ 270 e Brasília: R$ 600. Salvador e Madre de Deus ainda oferecem cestas básicas em alguns casos.

Se Prefeitura apoiar 2,5 mil pessoas de baixa renda em 3 meses, o investimento, uma obrigação, vai ser de R$ 1,5 milhão, 1% do que tem em caixa e 20% do que o município vai receber de Brasília. Para se ter uma ideia, a indigestão comprou 8 respiradores por R$ 1,4 milhão, ou R$ 175 mil cada um.

A ação, atrasada mais uma vez, o que ratifica o marasmo e lentidão da “Ingestão Placebo” no combate à pandemia, já infectou mais de 150 pessoas e causou duas mortes.

Nesse período, foram feitos contratos milionários para transporte e alimentação (R$ 10 milhões), que era oferecida a pequena parte dos servidores, mesmo os que trabalhavam 8h não recebiam.

Outro projeto antecipa o feriado de 14 de Agosto (Emancipação do Município de Candeias) para o dia 27. Hoje, 25, e amanhã, 26, são feriados estaduais antecipados.

Na contramão e com atraso

Com um atraso de quase dois meses, quando vivia fazendo Lives vazias, baixava decretos inócuos e não adotava ações efetivas de apoio às pessoas de baixa renda e combate à pandemia da covid-19, a gestão, a quem cabe cuidar de cada cidadão ou cidadã candeense, a gestão oferece essa quantia depois de 2 meses de comércio fechado e isolamento social, o que afeta diretamente ambulantes, autônomos, feirantes, vendedores e vendedores de acarajé e de porta em porta, motoxistas, taxistas e micro e pequenas empresas.

A cidade tem em caixa R$ 290 milhões, dos quais R$ 165 mi de livre utilização, mas essa verba está investida em bancos para render juros, enquanto educação, saúde, social e infraestrutura vivem à beira do caos com repartições públicas sucateadas e servidores expostos sem EPIs, água, papel higiênico e toalha. Servidores da saúde e social denunciam pelas redes sociais falta de máscaras, álcool em gel, além de outros materiais essenciais para evitar a contaminação.

Esse valor de R$ 290 milhões rende ao menos R$ 2,175 milhões por mês.

COMPARTILHAR