Candeias: Natan ordena ‘Toque de Recolher’ depois de morte de comparsa

5985
Foto enviada por App

Liderados de um dos maiores traficantes da RMS enfrentam a Polícia e um deles foi morto. ‘Cadeirudo’, que seria responsável pelo último assassinato no Condomínio da Areia e de um idoso na Urbis II, não resistiu

Durante ação de rotina na Rua Getúlio Vargas, limite entre os Bairros do Santo Antônio e da Areia, em Candeias, na Região Metropolitana a 46 km de Salvador, quatro supostos criminosos tentaram fugir e reagiram a investigação da Guarnição da Peto Um (Pelotão de Emprego Táctico Operacional), da 10ª CIPM (Companhia Independente da Polícia Militar) disparando contra os agentes da Segurança Pública.

Depois de rápida troca de tiros, os PMs – que atuaram para preservar a própria vida e dos moradores da área – perceberam um cessar fogo, e foram em busca do local de onde os disparos eram feitos.

No chão, os policiais encontraram um homem que foi reconhecido mais tarde pelo apelido de ‘Cadeirudo’, considerado um dos líderes do grupo de Natanael dos Santos, o Gordo ´ou Natan, de Candeias, ex-Baralho do Crime da SSP/BA. Ele foi socorrido e levado para o Hospital José Mário dos Santos (Ouro Negro), mas não resistiu.

Cadeirudo é suspeito de ter matado um senhor de 71 anos há 3 meses, na Urbis, e também de participar, na última semana, do assassinato de um ex-assessore parlamentar do vereador Jorge Moura, esta semana, no Minha Casa, Minha Vida, na Areia.

Depois de ser informado da morte, apesar de preso no Complexo Penitenciário de Salvador, na Mata Escura, Natan ordenou que nada funcione no Santos Antônio nem na Areia nas próximas horas em solidariedade ao comparsa, um dos criminosos mais violentos da quadrilha de tráfico de drogas.

Os policiais militares encontraram com o grupo um farto material para o tráfico de drogas:

▪1 revólver cal. 38 Taurus com numeração 915071 com 5 cartuchos deflagrados e um intacto;

▪Mais 02 munições do mesmo calibre;

▪10 pinos de substância aparentando ser cocaína;

▪2 porções maiores da mesma substância;

▪22 buchas de erva aparentando ser maconha;

▪27 pedras de substâncias aparentando ser crack;

▪diversos sacos para acondicionamento do material;

▪R$ 90,00 em cédulas de R$ 20 e R$ 10;

▪2 aparelhos celulares e

▪1 pochete.

A Guarnição Peto Um se dirigiu à Corregedoria da Polícia Militar para os procedimentos legais.

COMPARTILHAR