Candeias: O prefeito da ‘Família’ e dos ‘Fantasmas’

1488
Pitagoras Ibiapina, prefeito de Candeias/BA

Eleito com objetivo de dar uma nova cara em uma política que condenava, o atual prefeito nomeou irmão, mulher, cunhado, genro da mulher e primo em 8 anos de vida pública, além de fantasmas desde a Câmara de Vereadores

O atual prefeito de Candeias, na Região Metropolitana a 46 km de Salvador, cidade que arrecada R$ 30 mi por mês, não faz nenhum esforço para esconder o quanto beneficia a família e parentes com o dinheiro suado dos 87 mil candeenses.

Na Câmara, onde chegou em 2013, o médico nomeou o senhor S. M. C. irmão da primeira-dama, com salário de R$ 2,5 mil e gratificação de R$ 1,564 mil, e uma fantasma moradora e empresária do ramo de beleza em Madre de Deus (essa o salário era de R$ 2,2 mil). Ambos, pelo que se apurou até agora, nunca compareceram à Câmara e, sequer, devem saber onde fica localizada.

O MP (Ministério Público), de Candeias, investiga o caso há anos no que pode resultar, se o órgão e a Justiça não mantiverem a morosidade, em improbidade administrativa – que não prescreve – e impedir o exercício do mandato atual do prefeito.

Prefeitura

No cargo de gestor da cidade desde 2017, o médico – que demitiu colegas no começo da pandemia em maio de 2020 – “Mãos Limpas” nomeou a mulher como secretária de Saúde, Soraia Cabral, que conseguiu manter de janeiro de 2017 até hoje a intervenção no Hospital José Mário dos Santos (Ouro Negro) e o irmão como secretário com salário de R$ 12.481,74, (irmão que já circulou em várias Secretarias), além do genro, marido da filha da primeira-dama. R. M. desde o primeiro mandato e hoje o mantém com salário de R$ 2,6 mil mais 100% de gratificação, ou seja, R$ 5,2 mil, mas poucas vezes se vê – 2 ou 3 vezes por mês – onde deveria trabalhar.

Também hoje é subsecretário da Sesp (Serviços Públicos), A. G. N., primo do prefeito com salário de R$ 3,6 mil mais gratificação de 100%, além de um parente do dono da casa onde mora de aluguel na Pitanga, S. A. B, lotado na Segov (Secretaria de Governo), onde ninguém nunca o viu. A redação ligou 3 vezes e ninguém sabe de quem se trata.

Ao todo, familiares e o prefeito (que se faça justiça, eleito) recebem em torno de R$ 60 mil por mês da Cidade das Luzes com escolas, postos de saúde, estradas, saneamento básico e repartições degradados pelo descaso e omissão.

Sobrinha?

Hoje circula com desenvoltura na sede (em todos os setores) do Palácio Ouro Negro uma jovem com iniciais S. C. que, segundo apurou a redação, é sobrinha da primeira-dama, mas não está autorizada a chama-la de “tia” para não deixar cristalino que são os olhos do Poder.

A mesma ainda não teve (e não deve ter) a nomeação publicada no DOM (Diário Oficial do Município), mas deve estar contratada por uma terceirizada. Afinal, trabalhar sem receber não é dos tempos atuais. Embora centenas de comissionados passaram o mês de janeiro deste ano trabalhando sem nomeação e nem todos receberam.

Processos

O gestor, a primeira-dama, o secretário de Saúde, funcionários da Manupa (Manipulação Ultraplanejada) e da Kenan Medicamentos Ltda – ME, e João Kennedy Kenan respondem a processo na Justiça Federal por suposto superfaturamento na compra de respiradores e mascaras durante a pandemia. Todos têm quase R$ 1 mi bloqueado. Um respirador de R$ 72 mil foi comprado por R$ 175 mil. Uma AIME (sobre a eleição passada investiga distribuição de favores) e o caso da padronização dos prédios com as cores de campanha (por orientação do assessor que o chamava de ‘passador de receita’ ignorando a formação em medicina) também atormentam a ‘cúpula do Ouro Negro’.

NR.: O que significam as expressões “apertar o dedo” e “dar um susto”? Tem tom de ameaça.

Yancey Cerqueira, Dr. h.c

Radialista DRT-BA 06

COMPARTILHAR