Candeias: “Se tivesse ficado no Ouro Negro, estaria morta”, afirma dona de casa

716
Foto: Tudo News

O caso é semelhante à comerciária Manoela Xavier Santos que infelizmente morreu dentro do Hospital José Mário dos Santos depois de perambular por quase 10 dias entre o Luiz Viana e Ouro Negro, que não tinha médico para ultrassom e o aparelho estava desativado. Dias antes, o irmão de Gleica a tirou da unidade, levou para o Eládio Lasserre e está viva

Gleica Jesus dos Santos, 29 anos, dona de casa, casada, mãe de 2 filhos menores (1 menina e 1 menino) apresentava, nos dias 10 e 11 de maio deste ano, já na pandemia da covid-19 em todo o Brasil e em Candeias, na Região Metropolitana a 46 km de Salvador, fortes dores abdominais e procurou por 4 vezes as unidades de saúde – Centro Luiz Viana e Hospital? Ouro Negro – para uma avaliação médica.

Receitada, mas com paliativo (analgésico), ela voltou para casa acreditando que seria apenas um leve problema pois foi avaliada por especialistas, mas com o aparelho de ultrassonografia desativado e sem médicos – todos os da área foram demitidos pela Secretaria de Saúde no início de maio como já foi amplamente divulgado pela imprensa e reconhecido pela administração municipal – não pode fazer um exame mais apurado.

Quase 10 dias depois, em 20 e 21 de maio, ela voltou a sentir os mesmos problemas – dores na região pélvica, e não pode ser feito no hospital nem na cidade um exame mais qualificado por falta de estrutura do hospital, sob intervenção federal desde julho de 2016, mas há mais de 40 meses (aquela época) na atual gestão, de um médico e que tem como supersecretária de Saúde e Assistência Social, uma assistente social.

Segundo o vereador Fernando Calmon (PSD), que recebeu a denúncia, já preocupados com as notícias sobre o descaso com pacientes por falta de estrutura nas unidades de emergência e urgência de Candeias, eles tiraram a dona de casa da unidade e levaram para a Salvador.

Essa atitude aparentemente arbitrária, salvou a vida de Gleica.

Dias depois, a comerciaria Manuela Xavier Souza em circunstâncias parecidas morreu no Hospital José Mário dos Santos, caso que está sendo investigada pela 20º DT (Delegacia Territorial) – veja o link https://tudonews.com.br/candeias-vereadores-investigam-morte-de-comerciaria-no-hospital/.

Atendida no Hospital Eládio Lasserre, em Cajazeiras, o plantonista imediatamente diagnosticou o caso como de apendicite e marcou a cirurgia para o dia seguinte.

Essa atitude corajosa de meu irmão e de meus familiares, já que meu marido trabalhava fora, salvou a minha vida”, e tenho muito a agradecer, assim como meus familiares, afirmou ao Tudo News.

Segundo a redação apurou, a informação que recebeu a família na época é que o aparelho de ultrassom estava desativado porque não tinha profissionais para operá-lo. Todos haviam sido demitidos.

COMPARTILHAR