Candeias: Secretário de Cultura recebe integrantes do movimento Geek

400

Os representantes da cultura “Geek” da cidade de Candeias – movimento que integra jogos eletrônicos, animes, mangás, fãs de tecnologia e tem grande semelhança com os “nerds” – se reuniram com o Secretário de Cultura, Turismo e Juventude na semana passada, onde apresentaram a situação atual desse segmento cultural no município na tentativa de buscar apoio da Prefeitura de Candeias e da Secult para ampliar os seguidores e fortalecer a atividade Geek na cidade.

Segundo o secretário de Cultura, professor Cássio Vinícius, que também responde pela Secretaria da Juventude, por orientação do prefeito Dr. Pitágoras Ibiapina, todo movimento cultural e artístico popular deve ter o apoio da Prefeitura de Candeias. Nessa primeira reunião ficou acertado com os representantes do grupo World Of Geek Candeias, Lucas e Lilian que a Secretaria de Cultura, Turismo e Juventude ajudará na realização que provavelmente vai ser realizado no mês de abril, que pode ser um Festival ou uma Feira da Cultura Geek na cidade. Faltam definir detalhes para o evento.

Cultura Geek

A definição de geek mudou consideravelmente ao longo do tempo e já não há um significado definitivo. Os termos nerd, dweeb e dork têm significados semelhantes a geek, mas muitos optam por identificar diferentes conotações entre esses termos, embora as diferenças sejam controversas. Em uma entrevista em 2007 ao Colbert Report, Richard Clarke disse que a diferença entre nerds e geeks é “geeks fazem acontecer”.

Adeptos da doutrina geek definem o termo como um “técnico, doutor, autodidata, apaixonado pelo que faz e pelo que compreende”.

Para o psicólogo Erick Itakura, do Núcleo de Pesquisa em Psicologia e Informática da Clínica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, geek e nerd são a mesma coisa. Na opinião dele, o que mudou ao longo dos anos foi a aceitação social das pessoas ligadas em tecnologia.

A palavra geek teve o primeiro registro em 1876, como sinônimo de fool (bobo) e posteriormente passou a designar artistas ambulantes que ganhavam a vida exibindo-se nas ruas.

A expressão só adquiriu contornos positivos quando a tecnologia ganhou status de poder liberador. Nos anos 1990, o “Jargon File”, um léxico criado pela primeira geração de pioneiros da internet, definiu geek como “uma pessoa que escolheu a concentração no lugar da conformidade; alguém que busca objetivo (em particular, técnicos) e imaginação, não a adequação social padronizada. Geeks em geral sofrem de neofilia (atração por tudo aquilo que é novidade) e são adeptos de computadores”.

COMPARTILHAR