Candeias: Vereador denuncia – depois de fracasso na Saúde, a vítima agora é o Social

349
Foto: Assessoria vereador Arnaldo Araújo

Os três anos de “descaso” resultaram em contratação de médico falso, fechamento da UPA e surto de dengue, chikungunya e zika na cidade para ‘economizar’. Para complicar porque o que está ruim pode piorar, a secretária (também considerada ‘prefeita ad doc’) se tornou interina da Assistência Social

Os 36 meses de ‘indigestão’ na Secretaria de Saúde de Candeias da senhora Soraia Matos Cabral, a chefe dos Fakes News, parecem 30 anos de dor, sofrimento e pode ser considerado, segundo o vereador Arnaldo Araújo (PSDB), líder da oposição, de abandono, caos e descaso que resultaram em transtornos para milhares de famílias que precisam da ação do município cuja administração faz questão de guardar dinheiro no banco para ter rendimentos e faz de conta que gasta na saúde do povo.

Hoje, Candeias, que continua entre as 10 cidades que mais arrecadam nas 417 da Bahia, tem em caixa mais de R$ 267 milhões, dos quais R$ 123 mi dos precatórios e o restante da sangria no bolso de cidadãos, servidores, empresários e empresas, acrescenta o vereador, não é empregado adequadamente na Educação, na Infraestrutura nem em obras – hoje todas praticamente feitas com verba da emenda parlamentar de gestões anteriores – e na Saúde.

Para se ter uma ideia dos transtornos porque passam os candeenses, disse Arnaldo Araújo hoje na sessão extraordinária na Câmara de Candeias, vamos enumerar alguns dos casos mais graves na gestão da Saúde de janeiro de 2017 a dezembro do ano passado, e que deve continuar este ano, apesar da eleição:

Anote:

01 – Três anos de intervenção no Hospital José Mário dos Santos (Ouro Negro), uma verdadeira falta de compromisso com cidadão, pois deixa a Justiça administrar. Se a gestão estivesse preocupada e interessada, resolveria, cumprindo os motivos que resultaram no ato judicial;

02 – Contratação de falso médico que, enquanto não foi denunciado, a omissa gestão não se preocupou em selecionar profissionais e não ‘falsários’;

03 – Recebido por doação do Governo da Bahia, o ‘mamógrafo’ demorou 18 meses (um ano e meio) para funcionar. Porque a Saúde da Mulher não é prioridade na gestão;

04 – Não é raro faltar remédios, insumos básicos e materiais hospitalares nas unidades de saúde de Candeias. As licitações atrasam e a entrega dos produtos mais ainda;

05 – Não ter água mineral, papel toalha e papel higiênico nos PSFs e demais unidades de saúde é muito comum – toda semana. Descaso total;

06 – Raio X – Toda a cidade assistiu lamentavelmente a humilhação porque passaram os pacientes que precisaram por meses do equipamento no Hospital Ouro Negro e no Centro Luiz Viana. Somente depois do desastre numa casa quando caiu uma laje e deixou 12 feridos – em que o diretor da Clima ofereceu o Raio X pelo descaso da gestão – foi que se tomou as providências;

07 – O caos se instalou por dois anos com a omissão da secretária em relação ao Aedes Aegyti. Milhares de candeenses foram afetados por chikungunya, dengue e zika. Nunca foi feita nenhuma campanha de prevenção alertando a população. Candeiasa ficou entre as cidades com mais casos dessas doenças e, inclusive, com mortes;

08 – Isso levou a Sesab (Secretaria de Saúde da Bahia) a enviar uma funcionária para cobrar ações e providências da Prefeitura de Candeias. Irritada, a secretária disse em mídias sociais: “Diga a esse demônio que Kekinho (que foi nomeado na prefeitura apesar de ser procurado pela Polícia e Justiça) vai mostrar quanto tempo ela vai ficar em Candeias”.

Mesmo com a arrecadação saltando de R$ 268 milhões em 2016 para R$ 434 mi em 2018, nada funciona bem e assim vai ser porque não falta maquiagem, apesar do ano eleitoral.

A ex-secretária da Assistência Social, Joel Aneide, se afastou do cargo e, dentro das limitações impostas pelo prefeito, faz até um bom trabalho.

“Lamento muito pelo povo de baixa renda de Candeias que tanto precisa, mas não recebe o retorno a que tem direito”, finalizou o vereador desejando sorte aos candeenses.