Com prisão de bispo, Papa Francisco intervém na Diocese de Formosa (GO)

507

O Vaticano vai enviar outro bispo ao município goiano distante 70km de Brasília, para cuidar de 33 paróquias da região

A Conferência Nacional dos Bispos (CNBB) informou que o Papa Francisco decidiu intervir na Diocese de Formosa (GO), após a prisão do bispo dom José Ronaldo Ribeiro e de cinco padres da região, na Operação Caifás, segunda-feira (19/3). O Vaticano vai enviar outro bispo ao município goiano distante 70km de Brasília, para cuidar de 33 paróquias da região.

Na tarde de ontem, a CNBB divulgou uma nota oficial sobre o caso. No texto, o secretário-geral da entidade, dom Leonardo Steiner, pede Justiça nas investigações e convida fiéis a permanecerem unidos em oração. Ele também recomenda aos clérigos presos a se entregarem confiantes “à vontade misericordiosa de Deus”.

“A CNBB manifesta a solidariedade com o presbitério e os fiéis da Diocese, recordando ao irmão bispo que a Justiça é um abandonar-se confiante à vontade misericordiosa de Deus. A verdade dos fatos deve ser apurada com Justiça e transparência, visando o bem da igreja particular e do bispo. Convido a todos os fiéis da Igreja a permanecermos unidos em oração, para sermos verdadeiras testemunhas do Evangelho”, diz trecho da nota.

Isolados em presídio

Os mandados de prisão contra os noves acusados de integrar a quadrilha supostamente comandada pelo bispo de Formosa são temporários. Valem por cinco dias. O MPGO vai pedir a prorrogação, por mais cinco dias. Depois, a conversão para prisão preventiva, que não tem prazo.

Os acusados ocupam celas em uma área separada no novo presídio de formosa. O isolamento ocorre para garantir a integridade física dos clérigos, segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP). Eles têm direito a banho de sol de duas horas por dia e tomam banho em chuveiro sem eletricidade.

COMPARTILHAR