Desemprego bateu recorde em 20 estados brasileiros; Bahia lidera

166
Foto Ilustrativa

No ano da pandemia, o desemprego foi recorde em 20 estados brasileiros, segundo dados da Pnad Contínua publicados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que também trazem detalhes sobre como a falta de vagas afetou de forma diferente homens e mulheres. O instituto já havia anunciado que a taxa média de desemprego em 2020 no país havia alcançado o maior patamar (13,5%) da série histórica, iniciada em 2012.

O impacto da crise foi maior no Nordeste e menor, no Sul do país. Os estados com maior índice de desemprego foram Bahia (19,8%), Alagoas (18,6%), Sergipe (18,4%) e Rio de Janeiro (17,4%).

De acordo com o estudo, em 2020, o nível de ocupação no país foi de 49,4%. Esta é a primeira vez na série anual que menos da metade da população em idade para trabalhar estava ocupada.

No Nordeste, a situação é ainda mais grave. O nível de ocupação ficou abaixo de 50% em 15 estados dessa região. Em Alagoas, por exemplo, apenas 35,9% das pessoas em idade para trabalhar estavam ocupadas.

O Rio de Janeiro, no Sudeste, também aparece nessa lista, com apenas 45,4% da população com emprego.

Mulheres têm taxa acima da média

A pesquisa também traz dados do último trimestre de 2020. Nesta comparação, houve melhora, pois, a taxa de desocupação passou de 14,6% no terceiro trimestre para 13,9% nos últimos meses.

COMPARTILHAR