Dilma afirma que Palocci mentiu em depoimento

520

A ex-presidente da República, Dilma Rousseff (PT), divulgou nesta quinta-feira (7), uma nota à imprensa onde diz jamais ter atuado em favorecimento à Odebrecht na concessão de aeroportos, e que não se reuniu com o ex-presidente Lula para conversas sobre possíveis benefícios à construtora. No documento, Dilma diz que o ex-ministro Antônio Palocci mentiu durante o depoimento prestado ao juiz Sérgio Moro na noite da última quarta-feira (6).

Em depoimento que durou mais de duas horas, Palocci afirmou que os governos de Lula e Dilma mantinham uma relação fluida com a empreiteira, e que essa relação foi construída e era mantida a base de propinas. O ex-ministro afirmou também que, durante o segundo mandato de Lula, Emílio Odebrecht ofereceu ao petista um pacote com uma série de benefícios, entre eles uma conta bancária com o salde de R$ 300 milhões, para gastos pessoais e partidários, além de alguns imóveis. Segundo ele, a ex-presidente Dilma sabia do estreito relacionamento entre a empresa e o governo, e teria sido informada durante uma reunião com Lula, reunião essa desmentida pela petista.

Como exemplo do tipo de relação, Antônio Palocci contou que o governo facilitou a vitória da Odebrecht na licitação de concessão do Aeroporto Internacional Tom Jobim, conhecido como Galeão, no Rio de Janeiro. De acordo com Palocci, havia uma clausula no contrato que impedia a entrada de empresas que possuíam vínculos no consórcio que operava o Aeroporto de Guarulhos na disputa pela licitação, abrindo caminho para a entrada da Odebrecht no Galeão. Fato que também foi negado por Dilma Rousseff no documento.

COMPARTILHAR