Editorial – Candeias: A quem interessa radicalizar a greve?

401

Posições imutáveis e antolhas apenas prejudicam e podem levar ao caos atingindo a sociedade

Já dura praticamente um mês (completa amanhã) a paralisação dos servidores públicos de Candeias, Cidade das Luzes, e percebe-se que não há vencedor, mas perdedores: famílias e estudantes sem aulas, serviços públicos prejudicados e desgaste para protagonistas – Sisemc e Prefeitura.

Não pode – gestor municipal, empresário nem diretor de empresas – desconhecer que não existe produção sem a mão suada e calejada do trabalhador que, em geral, não é bem pago neste País. Há exceções sim, mas foge à regra a boa remuneração. A maioria em quase todas as prefeituras, governos estaduais e alguns casos no federal ganha menos que o mercado paga. E não me venham com desculpas: servidor tem estabilidade, mas trabalhador de empresa privada tem FGTS que lhe rende 8% todo mês e, ao fim de cada ano, é 1 salário. Mas sindicalistas precisam conhecer os limites do possível.

Também não me queiram convencer da relevante intervenção da Justiça para ajudar. Só atrapalha o povo brasileiro. Essa – morosa, lenta e a Cível da Bahia considerada a pior do Brasil com desembargadores e juízes respondendo processos no CNJ – não pode ser meta de quem quer que seja no caso em tela.

Beneficia a quem a greve? Alguém está plantando para colher em outrem? É preciso enxergar o que “há de podre no Reino da Dinamarca”.

Se essa Justiça, que reputo responsável pela “desordem moral do país” porque se omite e leva 17 anos para prender um consagrado ladrão, como Paulo Salim Maluf e 30 anos para decidir se os trabalhadores do Polo Petroquímico da Bahia devem receber 10% surrupiado por José Sarney, não é parâmetro para seriedade.

Cabe às partes – Prefeitura e Sindicato – entenderem os limites de cada um e sentarem-se à mesa despidos de “arrogância e prepotência” porque quem pode tudo hoje na democracia nada pode – e compreender que somente com diálogo, concessões e nenhuma vaidade resolveria a questão.

Não podem também esconder as coisas: a Lei de Acesso à Informação – permite conhecer receita e gastos da Prefeitura como também salários e gratificações de servidores –. Então, não dá para sofismar nem tergiversar.

Como cidadão e homem de comunicação não poderia deixar de externar esse pensamento que espero posso contribuir para que haja entendimento o mais breve possível, quem sabe até amanhã, e a paralisação termine na segunda, dia 26, para alegria das crianças, pais e servidores e paz na cidade, que me abraçou por anos e não poderia me furtar desejar que os cidadãos da mesma possam ter dias melhores com divergências, mas harmonia.

Ó Candeias benditos

Os filhos que crescem aqui

Gente simples e hospitaleira

A cidade da luz da paz e do amor

Com orgulho se faz assim

O teu nome jamais vai se extinguir

Yancey Cerqueira. Dr. h.c.

Radialista DRT/BA 06

COMPARTILHAR