Editorial – Ipirá: Marcelo quer atropelar ‘jacus’ para ser candidato em 2020

589

Se tem algo que alguns brasileiros não têm é discernimento nem autocensura. Um dos piores, senão o mais desastroso ‘gestor’ da história do ‘Camisão’ pensa em mais 4 anos para levar ao fundo do poço (onde está) o povo ipiraense. Marcelo se considera, segundo próximos, mais capaz, esperto e inteligente que todos, pois ele retomou o poder depois de 12 anos

O ‘arauto da competência na rádio’, um hoje verdadeiro falastrão, Marcelo Brandão, o advogado que esqueceu os princípios constitucionais de que ‘todo governo emana do povo e para ele deve ser exercido’, quer atropelar, ou ‘passar o trator’, mesmo os quebrados que não resolvem os problemas de ruas e estradas de Ipirá, sobre os possíveis concorrentes jacus nas eleições para Prefeito em 2020.

Para os mais chegados, o Moises da Terra Arrasada, que, por suposto recebimento de propina foi afastado do cargo este ano por 10 dias, sonda essa desastrosa possibilidade para os 65 mil moradores do antigo Camisão, ontem até então próspera Ipirá, cidade na Região da Bacia do Jacuípe, a 210 km de Salvador, e quer passar o rodo com esse objetivo: ganância de poder.

O ‘malamanhado indigestor’, que tantas agruras tem provocado, principalmente aos moradores de baixa renda, que chamava o Centro de Abastecimento de ‘Centro de Aborrecimento’, e hoje é o da vergonha, que dizia que faltava capacidade aos antigos prefeitos porque sobrava dinheiro, conseguiu, diferentemente da falácia de crise e falta de dinheiro, aumentar a receita em mais de 22%, de R$ 106 milhões para R$ 128 milhões de 2016 para 2017, prova a incapacidade, incompetência e falta de seriedade com a coisa pública, pública aqui os hoje sofridos iparaenses entregues ao descaso e desleixo de quem sentou no banco do bacharelado em direito, fez o exame de ordem, devia saber o que é ‘direito’ e provoca o caos. Para onde está indo a receita anual de R$ 128 milhões? Os vereadores jacus não podem ficar omissos.

Símbolos

Na Educação, uma Secretaria entregue a professora que perdeu o rumo do bom senso, pois, além de tentar agredir e ameaçar moralmente servidores, permite o abandono das instalações das escolas, merenda escolar que, quando não falta, está com produtos vencidos, e o transtorno do transporte escolar. Tentou até fechar a Biblioteca Eugênio Gomes;

Na Saúde, o secretário faz que conta que não vê – e aí precisaria passar no antigo oculista, hoje oftalmologista – para enxergar que no ‘hospital’, dá pra chamar aquilo de hospital? Faltam roupas, alimentação adequada e equipamentos e instrumentos para tratar quem tanto precisa. Com respeito, mais parece um açougue de carne clandestina do que uma unidade hospitalar;

Na Infraestrutura, onde está o senhor secretário? A própria rua onde ele mora é um caso a questionar a conveniência de estar no cargo. Ruas, avenidas e estradas vicinais dão a impressão que estamos numa guerra civil nos rincões mais pobres da África, pois não faltam buracos e crateras; O Mercado de Artes representa o abandono e fraqueza cultural da administração.

Manutenção e conservação de prédios e patrimônio públicos nem pensar. Isso faria ‘gastar’ o dinheiro que sai do suado imposto (todos eles) de cada ipiraense que precisa manter a esperança porque ‘não há bem que sempre dure, nem mal que nunca acabe’, e essa é pra você Marcelo. Malamanhado! Cumpre as promessas feitas em falas e que hoje se percebe a farsa.

Quadro

Os alvos de Marcelo seriam o vice-prefeito, Zé Ricardo, e o líder Luiz Carlos Martins, que poderiam com certeza representar muito melhor os Jacus em 2020 para tentar se manter no poder conquistado com desvairada demagogia na ‘rádio da família’, que perdeu a credibilidade por esconder ou omitir (os profissionais não têm culpa) todos os desmandos de uma gestão em cacos quando o hoje ‘Moises da Terra Arrasada’ prometia a Cidade das Maravilhas e agora envergonha até aliados, porque ‘todo mundo tem orgulho de morar em Ipirá, desde que o ‘Malamanhado Marcelo’ seja rifado fragorosamente da vida pública e responda aos atuais e processos futuros que correm e correrão na Justiça, pois aqui se faz, aqui se paga, e caro.

Infelizmente, os vereadores aliados do ‘Advogado do Caos’ fecham os olhos, se omitem e abandonaram o povo que votou neles, mas desse mesmo povo vão precisar em 2 anos para renovar o mandato. A maioria dos 8 que apoiam cegamente os desmandos de Marcelo vão ficar no meio do caminho.

Assim como o ‘Malamanhado Marcelo’ não perdeu a esperança de continuar prefeito, o povo tem certeza que não errará de novo, pois se ‘engana muitos por algum tempo, mas não todos o tempo todo’.

Yancey Cerqueira, Dr. h. c

Radialista DRT/BA 06

COMPARTILHAR