Exército vai concluir trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, na Bahia

464
Foto: Alan Santos/PR

Parceria com a Valec foi assinada durante visita do presidente Jair Bolsonaro a obras da ferrovia, na Bahia

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, visitaram, nesta sexta-feira, 11/09, em São Desidério (BA), as obras de construção da Fiol (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) que será uma importante via de escoamento de grãos e minério do estado da Bahia. Na ocasião, foi assinada uma parceria com o Exército para a execução de um trecho da obra.

A obra completa terá aproximadamente 1.527 quilômetros e ligará o futuro Porto Sul, em Ilhéus (BA), à cidade de Figueirópolis (TO), com um investimento previsto de R$ 8,9 bilhões.

“A Ferrovia de Integração Oeste-Leste é uma das obras mais importantes do Brasil e, sem dúvida nenhuma, a mais importante da Bahia. Ela é progresso na veia. É uma obra que vai fazer toda a diferença”, disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Quando pronta, a ferrovia deve se tornar um caminho de escoamento do minério das cidades de Caetité e Tanhaçu, no sudoeste da Bahia, e de grãos da região oeste do estado para os mercados interno e externo. A via deve, ainda, reduzir custos de transporte. Futuramente, a Oeste-Leste deverá se conectar à malha da Ferrovia Norte-Sul, o que traria vantagens competitivas e melhorias para a logística nacional.

“Vamos transformar o agronegócio brasileiro com essa ferrovia. Já temos uma ligação Norte-Sul e passaremos a ter a ligação Leste-Oeste. E isso é transformador para uma região onde o agronegócio mais cresce no Brasil”, disse o ministro da Infraestrutura.

Parceria com o Exército

Na cerimônia, durante a visita às obras, foi assinado o termo de parceria entre a Valec e o Exército Brasileiro que será responsável pela conclusão de trecho de 18 quilômetros do Lote 6 da ferrovia próximo à Correntina (BA). A Valec Engenharia, Construções e Ferrovias, é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Infraestrutura.

A parceria marca a retomada da participação do batalhão do Exército às obras em ferrovias. É a primeira vez, desde 1990, que um batalhão assume uma obra de ferrovia.

“Hoje é um dia que marca o retorno do Exército brasileiro às obras ferroviárias. Depois de mais de 20 anos, o Exército, que sempre trabalhou com muito profissionalismo, com muita dedicação, e fez muito pela infraestrutura do país volta a fazer ferrovias, volta a contribuir para colocar o Brasil nos trilhos”, disse o ministro Tarcísio Gomes de Freitas.

A obra, entre Bom Jesus da Lapa (BA) e São Desidério (BA), será executada pelo 4º Batalhão de Engenharia de Construção, de Barreiras (BA), e o 2º Batalhão Ferroviário, de Araguari (MG). A previsão é que o trecho seja concluído em 2022.

O ministro destacou a importância da manutenção das obras de infraestrutura para a geração de emprego e renda no País. “Fico particularmente feliz por causa dos 1,2 mil pais de família que trabalham nessa ferrovia e não perderam o emprego [durante o período de Covid-19] porque houve a decisão acertada de manter as obras funcionando, não paramos obras, não paramos o canteiro e as pessoas continuaram empregadas”.

Investimento em ferrovias

Além de ampliar e melhorar a qualidade das rodovias, o Governo Federal também quer investir mais nas ferrovias nacionais, tornando-as uma alternativa logística com maior potencial para o escoamento da produção brasileira. Atualmente, o modo ferroviário corresponde a 15% da matriz de transporte brasileira. O objetivo é chegar a 30% nos próximos 10 anos. Para essa ampliação, o Ministério da Infraestrutura aposta na participação da iniciativa privada por meio do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

Fonte: gov.br

Foto: Alan Santos/PR

COMPARTILHAR