Filha de Petkovic lança o primeiro disco da carreira

508

O nome Ana Petkovic, que acaba de lançar o disco “Mais e mais”, não é muito conhecido no Brasil, ao contrário do sobrenome. Nascida em Madri, capital da Espanha, mas criada entre Salvador e o Rio de Janeiro, a cantora é filha do jogador sérvio Petkovic, que fez carreira em diversos times – entre eles, Vitória, Atlético Mineiro e Flamengo.

“Cheguei ao Brasil, aos 5 meses, para morar em Salvador, na época em que meu pai jogava no Vitória. Era um pouco estranho ter pai famoso. Mas é muito legal ver o quanto o povo brasileiro o adora e respeita, ainda mais sendo alguém de fora. Todo mundo o acolheu”, afirma.

Na infância, Ana Petkovic fazia aulas de canto lírico, guitarra e piano. Muito jovem, já escrevia as primeiras composições. Este ano, com a ajuda do pai e do produtor Linox, que trabalhou com Djavan, ela decidiu lançar o disco de estreia.

Mais e mais foi um desafio. Pela primeira vez, Ana se viu compondo em português. “No começo foi difícil, pois era natural compor em inglês. Sou gringa, mas fui alfabetizada em português. Morei 15 anos no Brasil, tempo suficiente para conseguir compor. Depois de um tempo, acabou saindo naturalmente”, revela. Ela é fã de Ana Carolina e Alcione, que influenciaram a sonoridade de seu primeiro trabalho.

MOSKA Com 10 faixas, o álbum conta com três canções de outros autores: Quase um segundo, de Herbert Vianna, Nada vai mudar isso, de Paulinho Moska, e Encurralado, de Linox e Mauricio Oliveira.

“Apesar de Encurralado ser uma música de Linox, quando a ouvi me encontrei imediatamente. Estou longe de casa e a canção fala sobre isso. Morei na China, Arábia, Espanha e Sérvia… Fico mudando e viajando, então tenho a sensação de estar longe de casa”, diz.

Atualmente morando no Brasil, Ana vai se apresentar domingo na festa de réveillon de Copacabana, no Rio de Janeiro.

COMPARTILHAR