Ipirá:  Prefeito Marcelo ‘Malamanhado’ e os 25 meses de marreta

989

‘Malamanhada’ era a expressão usada pelo atual ’gestor’ para denegrir a imagem dos prefeitos por anos na rádio da família; ‘marreta’ foi símbolo, slogan ou ‘chacota’ que o DEM (jacus) usou na campanha para desprezar adversários

Passados 2 anos e 1 mês, ou 25 meses, o número do DEM, partido no poder, da administração desastrosa de Marcelo Brandão, ou Marcelo Malamanhado, da cidade de Ipirá na Bacia do Jacuípe a 210 km de Salvador, nada a população da antiga ‘Camisão’, cidade do Bode, tem a comemorar.

Falas que eram promessas e hoje ainda ‘farsa’, ou fraude eleitoral, marcam o advogado Marcelo Brandão à frente do Poder Executivo do município de aproximadamente 63 mil habitantes que teve aumento de receita de R$ 106 milhões para R$ 128 milhões de 2016 para 2017, pois sequer cumpre o que falou por quase 12 anos pela rádio que pertence e é dirigida pela família e que serviu e serve de palanque, hoje menos acreditada.

À época, apresentador de programa, Marcelo dizia que havia dinheiro para tudo, mas nesses 25 meses não reformou o Centro de Abastecimento, que ele chamava de Centro de Aborrecimento, deixou abandonada a Casa do Estudante em Salvador, abandonou e agora promete retomar a obra da Praça São José, ou Praça do Puxa, ignorou o incêndio no Mercado de Artes, que também garante vai ser entregue à inciativa privada por aproximadamente 25 anos e R$ 3 milhões, além do caos na Educação, onde a secretária tentou fechar a Biblioteca Eugênio Gomes, tem desavenças constantes com funcionários e o Sindicato dos Servidores, e o descaso com a saúde com um hospital que mais parece um ‘açougue’ destruído e o distanciamento daqueles – eleitores e população – que prometeu ajudar, defender e tratar com carinho durante as falas na rádio e durante a campanha de 2016.

Ainda podemos citar as ruas e avenidas esburacadas. Detalhe, a única obra que fez foi a Avenida Rio Grande do Sul que, em 2 meses e um pouco de chuva derreteu o asfalto de má qualidade, e ainda deixou um poste no meio da pista. As estradas vicinais são um queijo suíço: buraco a cada metro.

Na dita campanha, usou como ‘símbolo’, aliás como quase todo o DEM na Bahia, uma ‘marreta’ para afirmar que destruiria a situação, hoje oposição, e que está servindo para que a gestão, há dois anos no poder, acerte a cabeça de milhares de ipiraenses.

O prefeito tem mais 21 meses para desfazer a negativa imagem que ostenta nos meios políticos, a chacota nas conversas nas ruas, esquinas e bares com críticas duras, inclusive de aliados e fanáticos jacus, que quase têm certeza que os ‘macacos’, adversários políticos devem retomar o poder pelo desastre da gestão que voltou à Chefia do Executivo 12 anos depois.

Resta a Marcelo ‘Malamanhado’ torcer para uma lavagem cerebral dos aproximadamente 42 mil eleitores ipiraenses a fim de esquecer, inclusive, que ele foi afastado do cargo por 10 dias pela Justiça Federal depois de uma ‘visita’ indigesta e desagradável da Polícia Federal no fim da madrugada de 21 de agosto em 2018.

Mas… se estivéssemos nos anos 1970 ele poderia driblar a todos. Não na era das mídias sociais: Facebook, instagram, Whats’App, Portais, Sites que não dependem dele para omitir a verdade, como faz a rádio da família.

Yancey Cerqueira

Radialista DRT/BA 06

COMPARTILHAR