Jornalista que questionou Bolsonaro sobre rachadinhas de Flávio é demitido

358

Presidente encerrou coletiva de imprensa após ser perguntado sobre decisão judicial que beneficia o filho

O jornalista João Renato Jácome foi exonerado da Secretaria de Meio Ambiente de Rio Branco (Acre) depois de questionar o presidente Jair Bolsonaro, em coletiva de imprensa realizada na última quarta-feira, a respeito de uma decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que teria favorecido o filho Flávio (Republicanos-RJ). A medida foi autorizada pelo prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (Progressistas).

Na ocasião, Jácome, que era chefe de gabinete da secretaria, estava de folga e trabalhava como freelancer sem vínculo empregatício para o jornal “O Estado de S. Paulo”. Ao ser perguntado qual era a sua avaliação sobre a decisão do STJ, Bolsonaro interrompeu o jornalista e encerrou a coletiva.

“Minha família está abalada. Recebi mensagens pelas redes sociais de que eu devia morrer, de que devia levar porrada, de que eu era comunista e um desgraçado. Minha vida ficou de cabeça pra baixo”, relatou Jácome em entrevista ao site Congresso em Foco.

Já Tião Bocalom, que foi apoiado por Bolsonaro nas eleições municipais, negou que o motivo da demissão tenha sido a pergunta feita por Jácome. “Eu o demiti porque ele estava em horário de serviço, trabalhando para o jornal Estadão. Como comissionado ele não poderia fazer isso. Ele diz que estava de folga, folga de quê? Não tem folga, não”, disse.

A decisão da 5ª Turma do STJ, que beneficia Flávio Bolsonaro, se refere a anulação da quebra de seus sigilos bancários e fiscais no caso em que respondia pelos supostos desvios de recursos parlamentares quando era deputado estadual no Rio de Janeiro.

COMPARTILHAR