Lula deve ser interrogado em maio sobre compra de caças suecos

113
Foto: Conjur

O interrogatório do ex-presidente Lula sobre a compra de caças do modelo Gripen foi marcado pelo juiz Frederico Botelho de Barros Viana, substituto da 10ª Vara Federal em Brasília, para o próximo dia 27 de maio.

A vara é um dos possíveis destinos das ações penais contra o petista, cujas decisões proferidas pela 13ª Vara Federal de Curitiba foram anuladas na segunda-feira, 8/3.

O Ministério Público Federal acusa Lula de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa, por ter participado de negociações irregulares para a aquisição de 36 caças Gripen, fabricados pela empresa sueca Saab. O processo, que começou no governo de Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), foi finalizado na gestão de Dilma Rousseff. Mas a escolhe final coube à Aeronáutica.

Segundo a denúncia do MPF, os crimes de Lula nesse episódio teriam ocorrido entre 2013 e 2015, durante o primeiro e segundo governo de Dilma.

Um dos filhos do ex-presidente, Luiz Cláudio Lula da Silva também foi denunciado por envolvimento. Ele teria recebido dinheiro de um lobista para garantir que Lula usasse a influência na compra dos caças. Deve ser interrogado no dia seguinte ao pai.

O interrogatório de Lula já havia sido marcado em 2019, mas foi cancelado para que testemunhas do exterior fossem ouvidas, como os ex-presidentes franceses François Hollande e Nicolas Sarkozy.

À época da apresentação da denúncia, a força-tarefa da “lava jato” não identificava nada de anormal na transação dos caças e enxergava a questão como “uma opção política justificável”, segundo diálogos obtidos por um hacker e aprendido por ação da Polícia Federal, a mando do então ministro Sergio Moro (Justiça).

Fonte: Conjur

COMPARTILHAR