Mais da metade dos brasileiros acha seguro votar

218
Imagem: Secom/PGR

Levantamento do PoderData mostrou que 52% da população se sente segura para ir pessoalmente votar nas eleições municipais. Outros 43% disseram que acham o ato arriscado por causa da pandemia de covid-19.

O 1º turno das eleições de 2020 será realizado em 15 de novembro. Nas cidades onde houver 2º turno, o pleito será em 29 de novembro.

A pesquisa foi realizada pelo PoderData, divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é realizada em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Os dados foram coletados de 26 a 28 de outubro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 488 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os brasileiros que representem de forma fiel o conjunto da população.

Considerando cada estrato social, verifica-se que um dos grupos que têm mais segurança para exercer o sufrágio é justamente quem tem 60 anos ou mais, com 62% dos entrevistados dizendo que pretendem ir à votação. A idade mais avançada é apontada como um dos fatores de risco para a doença causada pelo novo coronavírus.

Entre os entrevistados de 16 a 24 anos, o mesmo percentual é aponta justamente o contrário: 62% daqueles que estão nesta faixa etária acham arriscado ir votar.

Considerando renda e região do país os que mais se sentem seguros para votar são: os que recebem de 2 a 5 salários mínimos (66%) e os que moram no Sul (61%).

Bolsonaristas acham mais seguro

No cruzamento com a avaliação do presidente Jair Bolsonaro, 66% dos que o consideram “ótimo” ou “bom”, afirmam ser sair para votar.

Já entre os que avaliam Bolsonaro como “ruim” ou “péssimo”, 62% disseram achar arriscado ir à votação.

COMPARTILHAR