Morre Xênia Bier, a primeira feminista do rádio e da TV brasileiros

301
Foto: Divulgação

A famosa comentarista de programas femininos morreu aos 85 anos e fez carreira em programa sobre mulheres em vários canais e redes de TV pelo Brasil

A família não revelou a causa da morte, confirmada pela filha, Daniela Bier. “Minha mãe foi a primeira mulher do Brasil a ter um programa de rádio e TV. Tenho muito orgulho de sua história“, afirmou.

Apesar de conhecida como Xênia, o nome verdadeiro da artista era Vilma. Ela sofria com complicações relacionadas ao Alzheimer e estava internada havia 15 dias.

Xênia começou no fim da década de 50, na TV Cultura, de São Paulo, que na época pertencia ao grupo de Assis Chateaubriand, e apresentava-se ao lado dos importantes jornalistas Ney Gonçalves Dias, do produtor Fausto Rocha e de Jacinto Figueira Jr., o famoso Homem do Sapato Branco. Logo ela passou a ser a apresentadora exclusiva do programa “Light Convida”, programa feminino comum repleto de temas e entrevistas polêmicas.

Xênia também foi atriz e fez as novelas “As Professorinhas”, “Escrava do Silêncio”, “O Moço Loiro”, na TV Cultura.

Na Band, comandou o “Xênia e Você”. Depois, foi para a Rede Globo, quando esta lançou o famoso programa “TV Mulher”. Na época, ficou famosa por atitudes como jogar moedas na direção de Marília Gabriela. Também passou pela TV Manchete, onde esteve à frente do “Mulher 88”.

Em seguida, foi para a TV Gazeta, e fez o programa “Mulheres”, no qual os fortes comentários causavam comoção na época. Na época, ela chegava a bater na mesa com a mão quando ficava brava. Por causa de suas opiniões, ganhou colunas em revistas como “Contigo!” e “Ana Maria”.

No rádio, passou pela Bandeirantes e Capital.

Considerada a primeira feminista assumida da televisão brasileira, chegou a afirmar em entrevista: “Fui fichada como ‘cadela soviética’. Vocês têm que me respeitar, vocês não conhecem minha história“.

Xênia terá o corpo cremado no cemitério da Vila Alpina, em São Paulo, em cerimônia íntima.

COMPARTILHAR