Motorista embriagado tenta driblar fiscalização, mas é preso na Bahia

159
Foto: Nucom PRF/BA

Para tentar fugir do flagrante, o condutor após avistar a viatura policial, passou a direção do caminhão para o carona. Em 2020, a PRF na Bahia já flagrou 1.055 motoristas dirigindo sob influência de álcool nas rodovias federais que cortam o estado.

A Polícia Rodoviária Federal deteve na noite de terça-feira, 21/04, o condutor de um caminhão M. BENZ/L 608 alcoolizado. A ação foi registrada no Km 709 da BR 101, trecho do município de Eunápolis, Região do Extremo Sul a 671 km de Salvador.

A PRF realizava fiscalização da Operação Rota Segura voltada à prevenção de acidentes quando usuários da rodovia entraram em contato denunciando que o condutor de um caminhão de cor branca, placas de Itapebi (BA), estava dirigindo de forma perigosa, fazendo ziguezague pela rodovia, na eminência de causar um acidente, colocando em risco a segurança de todos. Os motoristas relataram também que para evitar a colisão frontal tinham que desviar para o acostamento e frear bruscamente.

De imediato os agentes federais iniciaram buscas e visualizaram o veículo na altura do quilômetro 709, porém, o condutor ao avistar a viatura da PRF, estacionou no acostamento. Para tentar fugir do flagrante de alcoolemia, o motorista entregou a direção do caminhão ao carona.

Os agentes federais perceberam a farsa armada e diante das evidências realizaram os procedimentos de fiscalização e o homem de 42 anos foi submetido ao teste com etilômetro, cujo resultado aferiu 0,34 mg/L (miligramas de álcool por litro de ar expelido dos pulmões), comprovando a embriaguez.

Aos policiais o motorista não quis se manifestar sobre o caso. Já o passageiro narrou que seu tio realmente havia feio uso de bebida e que estava ‘barberando’ muito na estrada.

Dada às circunstâncias, a ocorrência foi encaminhada à Delegacia de Polícia Civil de Eunápolis (BA) e apresentada à autoridade policial de plantão.

Além de detenção por crime de trânsito, a multa por alcoolemia custa R$ 2.934,70, valor que é duplicado em caso de reincidência. Ademais, ocorre a penalidade administrativa que suspende ou proíbe o motorista de obter a habilitação ou permissão para dirigir veículo automotor por um período de 12 meses.

A PRF ressalta que dirigir sob influência de álcool, além de ser crime, gera risco para a segurança viária e à integridade física dos usuários das rodovias. Para coibir essa conduta perigosa o órgão mantém fiscalização intensa em todas as rodovias federais do país.

Fonte: Nucom / PRF/BA

COMPARTILHAR