O caso de possível assédio do presidente da CBF

69

Caboclo retaliou roupas e amizades de denunciante; presidente da CBF solta nota. Além de chamar mulher de ‘cadelinha’, o presidente da Confederação teria acuado funcionária e citado sua esposa em conversa

Após ser formalizada uma denúncia contra o presidente da Confederação Brasileira de Futebol Rogério Caboclo por assédio moral e sexual, mais um capítulo da acusação foi noticiado neste sábado. Caboclo teria retaliado a funcionária que o denuncia, apontando as vestimentas da mulher como inapropriadas e regulando amizades dela na Confederação, onde trabalha desde 2012.

Antes disso, o político mais alto do futebol brasileiro teria obrigado a funcionária a dar falso testemunho e assinar documento negando o assédio. O caso ocorreu em março de 2021, após uma reunião na casa do dirigente, em São Paulo.

Tenho passado por um momento muito difícil nos últimos dias. Inclusive com tratamento médico. De fato, hoje apresentei uma denúncia ao Comitê de Ética do Futebol Brasileiro e à Diretoria de Governança e Conformidade, para que medidas administrativas sejam tomadas – disse a denunciante.

No dia seguinte aos insultos e desrespeitos, a funcionária confrontou Caboclo – ele que irá para a CPI da Covid-19 – e teria dito para ele que nunca havia se sentido tão humilhada e ridicularizada. O cartola teria respondido que não se intrometeria mais na vida pessoal dela, contudo, exigiu que a mulher não mantivesse mais nenhuma relação pessoal ou de amizade ou com ninguém da CBF.

Na mesma conversa, o dirigente relata que as roupas de trabalho dela não eram compatíveis com a função. Ainda segundo a denúncia feita, Rogério exigiu que ela mudasse suas vestimentas, solicitado até dinheiro para comprar novas roupas.

Cerca de sete dias depois, o presidente teria chamado a funcionária para uma conversa no jardim de inverno da sala da presidência, segundo a denúncia feita ao Conselho de Ética da CBF. Caboclo ofereceu então bebida alcoólica para a funcionária, além de ter pedido para que ela retirasse a máscara contra a covid-19.

COMPARTILHAR